Publicidade
Review

Review | Re:Call

RE:CALL é um jogo com uma temática que envolve a manipulação da memória, tornando-o um título diferenciado e que deve satisfazer os jogadores em busca de desafios.
Gostou? Compartilhe!
RE CALL
(Imagem: Divulgação)
Publicidade

Em RE:CALL, você joga com as memórias do personagem que está controlando. Suas ações dentro desses flashbacks têm consequências imediatas no momento presente, permitindo que você aproveite a situação para progredir na história. Além disso, os jogadores poderão jogar quebra-cabeças alucinantes que dependem da alteração de suas próprias memórias para moldar o futuro.

Este jogo com um visual bem simples e que lembra os primórdios de Metal Gear no seu design e até mesmo de apresentar a aventura, possui um dos sistemas de jogabilidade mais inteligentes atualmente, que lidam com a manipulação de memória, um tema que está se tornando recorrente nas mídias de entretenimento.

Para dar ainda mais destaque para o jogo, esta manipulação de memória envolve a resolução de quebra-cabeças, o que dá ao jogador um desafio e novos rumos para se aventurar na história. Isto torna RE:CALL um jogo mais do que equilibrado, pois à medida que o jogador tenta várias vezes esclarecer um ponto da hsitória para progredir na narrativa, ele deve observar muito bem o que está acontecendo.

Continua depois da Publicidade

O equilibrio está na parte em que envolve toda a questão de um jogo com narração e a jogabilidade, mas que na parte final se perde um pouco, deixando o verdadeiro destaque para a experiência narrativa. Não que isso seja ruim, mas se você busca um jogo com algo mais “jogável”, poderá se cansar de RE:CALL.

Como isso tudo aconteceu?

Um dos principais trunfos de qualquer jogo não é te dar respostas, mas sim fazer com o que o jogador formule perguntas para ir aos poucos se aventurando em busca do que é realmente o título. Ao longo dos capítulos, o jogador deve desvendar as habilidades de manipular as memórias – e não o tempo -, para tentar como toda esta conspiração conecta tudo.

Muitas vezes os diálogos são um pouco infantis, mas de uma maneira geral, RE:CALL é um jogo bem satisfatório, e mais do que vale a pena ser experimentado.

CONTEÚDO RELACIONADO