Saia da Bolha, Dev!

Alguns profissionais do mercado precisam rever seus conceitos, principalmente os diretamente ligados a quem compra o que ele desenvolve.

Bolha controle
Publicidade

Introdução

Este artigo foi fruto de um papo recente estilo “mesa de bar”, com os amigos da UCEG, lá do Ceará, que me contaram algo que me deixou estarrecido. A história foi de um “dev de jogo” que não quis conversar com um “gamer”, pois ele não falava com este tipo de pessoa, por puro preconceito. Na hora só veio o seguinte meme na minha cabeça.

Como uma pessoa que está fazendo um jogo, não quer falar com o seu PÚBLICO-ALVO que poderá COMPRAR o seu produto? Cara, de boas, o que você está fazendo?

Parece piada, mas não é. Este caso não é algo isolado, existem outras histórias bem bizarras sobre a postura de certos desenvolvedores, que acabam afastando possíveis investidores, divulgadores e até mesmo o público com as suas atitudes nada profissionais. O que mais me espanta é que estes devs querem fundar estúdios/startups e entrar no mundo dos negócios. 

Continua depois da publicidade

É sério isso, produção?

Vamos então falar para este cara que tá numa bolha e que precisa estourar rapidamente para sair dela.  Como dizia Galileu da Galiléia: senta que lá vem história…

Hard Skill e Soft Skill

Nos tempos atuais tem se falado de dois conjuntos de habilidades que fazem com que um profissional se destaque frente a outros: Elas são chamadas de Hard Skills, habilidades técnicas e de Soft Skills, habilidades comportamentais. Vamos exemplificar abaixo para você ter um entendimento melhor:

Hard Skills

  • Domínio de uma língua: exemplo:inglês, espanhol;
  • Domínio de uma linguagem de programação: C#, Java, Javascript, C++
  • Domínio de um software: Photoshop, Word, Excel, Openoffice
  • Domínio de um Game Engine: Unity, Unreal, Godot;

Soft Skills

  • Liderança;
  • Motivação;
  • Trabalho em equipe;
  • Comunicação;

Nos dias atuais a combinação deste dois conjuntos de habilidades permitem ganharmos um destaque e estarmos prontos para enfrentar diversas situações em projetos, apresentações, etc. Um dev muito bom tecnicamente, mas que não tem um mínimo de comunicação, pode simplesmente naufragar seu projeto. Imagina a situação: um indivíduo sem um mínimo de capacidade de comunicar a sua ideia, apresentar seu jogo a um grande investidor? 

Vai ser um desastre

A importância hoje de trabalhar não só as competências técnicas, mas também as pessoais, são uma condição para todo o dev que deseja fundar o seu estúdio inicialmente como uma startup, ou mesmo como uma pequena empresa. Não basta apenas ser um programador fantástico, ou então um modelador 3D extremamente habilidoso, é necessário ter além destas hard skills, os soft skills. Contudo existem tipos de hard skills (além dos utilizados na construção de jogos) que devem também ser conhecidos pelos devs. Vamos citar alguns deles:

  • Gestão de Negócios;
  • Gestão de Projetos;
  • Análise de Mercado;
  • Metodologias Ágeis.

Não vou explicar cada uma deles (basta invocar o Google), mas é importante falar que a questão aqui não é só fazer jogo, e sim fazer negócio.

Não é só fazer jogo…

A partir do momento que você vai criar o seu estúdio de jogos, certas coisas muito, mas muito chatas vão surgir. Coisas como contador, impostos, boletos, trato com investidor, toda uma série de “novidades” que você vai precisar encarar. Eu já vi muitos devs se tornarem empresários devido a sucessivos fracassos e aprendizados. Aliás falhar não é feio, faz parte do processo, aliás, é muito importante FALHAR.

Quando você quebra, tem um fracasso fenomenal, isto faz com que a sua cabeça comece a mudar e a entender que o jogo é uma das partes do seu negócio. Existem a gestão de pessoas, gestão de recursos, relação com clientes, parcerias, etc. É importante enxergar que quando você mergulha para valer na idéia de fazer de seu jogo e principalmente seu negócio, você sai da bolha, de maneira amigável ou da pior maneira possível. Este entendimento do mundo real, não do mundo “romântico” de fazer um jogo, é uma subida de nível, como nos jogos mais tradicionais que conhecemos. 

Eu estou apenas pincelando isso para que você tenha ideia que tem muito mais coisa para você pensar quando tomar a decisão de fundar o seu estúdio. Mas é o princípio da estrada.

E tem um tal de Dress Code…

Você sabe o que é isso? Resumindo

Conjunto de regras sobre o que se deve vestir para cada ocasião e de acordo com o evento.

Exatamente! Como você deve se vestir para ir a um evento para apresentar o seu produto. Na nossa indústria de games temos a vantagem de podermos ir o mais casual possível. Os investidores sabem que não vão encontrar ninguém de terno e gravata (ainda bem). Contudo, ser casual não significa ser desleixado. Como assim? Tem umas regras bem legais para você ter em mente:

  1. Roupas LIMPAS! Uma roupa casual, com referência ao seu trabalho. Se você tiver como fazer uma camisa pólo com o logo do seu estúdio, dá um impacto maior. O jeans está sempre na moda.
  2. Banho TOMADO, barba feita ( caso dos rapazes), cabelo no “estilo” (não importa a cor). o que importa é você estar com um visual bem bacana.
  3. Nada de usar aquele tênis/sapato velho, sujo, com buraco. Tente ir com um novo para compor seu look de boa;

Parece bobagem isso, mas aquele ditado “a primeira impressão é a que fica” vale ainda demais. Eu gosto muito de visuais simples, um bom exemplo é o Steve Jobs, que não ia de terno e gravata aos eventos, mas tinha um estilo “seu” que passava muito dele e da sua empresa. Outro cara, o John Carmack (se você não sabe quem é John Carmack, antes de passar vergonha dá uma procurada no Google), também é muito minimalista, mas toma todos estes cuidados quando vai falar ao público.

Pô, Tony… tu desenvolve jogo ou é crítico de moda?

Pessoal, de boas, eu já vi um dev genial perder um investimento em seu game, pois estava com um cheiro não muito agradável. Por isso estas dicas são importantes.

Para finalizar: você não está só vendendo seu projeto, também está vendendo você!

Parece frase de livro de autoajuda, ou do estilo “sucesso instantâneo”, mas é uma verdade. A sua maneira de falar, de se vestir, interagir, saber ouvir as críticas, fazem com que as pessoas tenham impressões diversas sobre você. Sejam elas boas ou ruins.

É um processo de construção profunda, de mudanças de muitos comportamentos, mas necessários caso você decida dar um passo além de fazer jogos. Deixo aqui uma frase do mestre Raul que sintetiza tudo na minha humilde opinião.

Eu prefiro ser

Essa metamorfose ambulante

Do que ter aquela velha opinião

Formada sobre tudo

Saia da bolha! Da próxima vez que um “gamer” vier falar com você, o receba, ouça suas críticas e bata um papo com ele. No final ele poderá se tornar seu fã e com certeza comprar o seu jogo.

Publicidade
© 2021 Observatório de Games | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade