Dying Light 2
Imagem: Reprodução

Os jogos de mundo aberto estão cada vez mais aumentando sua popularidade e, para Tymon Smektala, diretor criativo de Dying Light 2, os desenvolvedores devem apostar na imersão e não no tamanho dos mundos abertos, que já são enormes.

“Não acredito que as pessoas precisam verdadeiramente de mundos maiores, elas precisam de mundos com melhor qualidade e mais imersivos”, comentou o diretor.

Tymon Smektala disse ainda que não é difícil para a atual geração criar mundos enormes e que o tamanho do mapa já não afeta mais o desempenho do jogo.

“O que afeta a performance é o número de NPCs à sua volta, a sua variedade, como se comportam, e o número de animações” explicou Smektala.

“Esta é, basicamente, a nossa missão da Techland enquanto estúdio. Queremos criar mundos abertos em primeira pessoa, com gráficos de qualidade e com uma imersão elevada, sentindo o ambiente em que o jogo se encontra”, complementou o diretor de Dying Light 2 durante a entrevista para o GamingBolt.