Nintendo Processo
A Nintendo está recuperando suas valiosas moedas. Imagem: Reprodução.

Se há uma coisa que a Nintendo vem fazendo na última década é levar frequentemente as pessoas que pirateiam seus jogos ao tribunal. Antes do natal, a empresa japonesa venceu uma liminar contra o site Torrent Freak por piratear games antigos do SNES através de um mod para Nintendo Switch.

A Nintendo focou especificamente em vários de seus IPs, incluindo Super Mario Bros., Mario Kart, Pokemon, Donkey Kong e The Legend of Zelda. A liminar proíbe o réu de modificar, vender, alugar ou distribuir cópias não autorizadas de tecnologia, software e outros materiais de marca registrada da empresa.

A empresa japonesa vem perseguindo o site desde que ele começou a vender um mod do Switch criado pela Team-Xecuter que permitia carregar jogos hackeados no console.

Além da comercialização do mod, a venda incluía um cartão de memória com mais de 800 títulos de jogos clássicos para jogar no console.

Aparentemente, o software era uma versão modificada do NES Classic Edition. Embora o conteúdo venha a ser muito agradável aos gamers, vale lembrar que isso é uma violação de direitos autorais do seu IP.

Nintendo e os processos

Não é o primeiro site de roms que a Nintendo decide processar. Em novembro de 2018, a empresa ganhou uma ação contra Jacob Mathias, proprietário dos sites LoveROMS e LoveRETRO. O veredicto foi um golpe forte no réu: US$150.000 (R$570.000 na cotação atual) POR JOGO pirateado e mais US$2.000.000 por cada marca lesada que tivesse vínculo com o jogo (estúdio distribuidoras, criadores, etc). Veja o tamanho completo da encrenca que Jacob aqui.

O mais recente processo que a Nintendo aplicou contra prejudicadores de sua propriedade intelectual foi contra um conteúdo de sua franquia mais lucrativa: Pokémon. A Big entrou com uma ação na justiça contra todos que de alguma alguma maneira ajudaram a compartilhar informações de Pokémon Sword And Shield antes de seu lançamento. Confira aqui a matéria completa.