nintendo switch
Desenvolvedor da Engine Software aposta que o Switch tem seu próprio mercado. Montagem: Divulgação.

Os últimos meses tem sido de maré cheia para a Nintendo no que se refere ao retorno financeiro de seu portátil. Vendendo bem nos principais termômetros do mecado e ampliando a famlília, o Nintendo Switch está confortável. Contudo, a chegada de uma nova geração de videogames no fim de 2020 pode indicar o fim dessa calmaria toda para a Big N.

Não é o que acredita o desenvolvedor da Engine Software, Ruud van de Moosdijk. De acordo com a entrevista que Rudd concedeu ao Nintendoeverthing, o Switch “existe em sua própria dimensão do mercado e continuará se saindo bem”. O desenvolvedor acredita que a “singularidade” do console também significa que o poder não é um fator determinante nisso.

Na minha opinião, o Nintendo Switch, assim como o Wii antes, existe em sua própria dimensão do mercado e continuará se saindo bem, mesmo quando o PS5 e o Xbox Series X forem lançados. Como tantas vezes antes, os consoles da Nintendo têm apenas sua própria singularidade, que não depende de ter o processador mais rápido ou a maior memória. É por isso que sempre tenho que sorrir quando ouço alguém dizer que a Nintendo terminou.

A Engine Software tem desenvolvido váriso jogos para o portátil da Nintendo, como Ni no Kuni e Into the Breach. Ainda de acordo com Ruud van de Moosdijk, um dos fatores que vai ajudar o Switch a seguir em alta é o fato da Nintendo sempre oferecer boas condições para que seus parceiros entreguem bons jogos.

Ni No Kuni, da Engine Software.

Os videogames da próxima geração estão com lançamento prometido para o final de 2020. Já o Switch tem uma versão Pro especulada para algum momento desse mesmo ano.