Fotorrealismo
Olhe um pouco mais de longe. Essa existe?

O CEO e fundador da Epic Games, Tim Sweeney, espera um futuro próximo onde o gamer não saiba mais distinguir o real do virtual. Sweeney falou sobre o avanço da tecnologia de última geração em um episódio do podcast Notebook do AIAS Game Maker

Quase lá, mas…

De acordo com o CEO, falta muito pouco para conseguirmos um resultado sem conflitos com a realidade, mas ainda existem alguns obsetáculos no caminho. “Estamos chegando muito perto, mas precisamos de mais um salto gigante para chegar ao ponto em que você não consiga distinguir entre gráficos em tempo real alimentados pela Unreal Engine e gráficos em CG” [ou] do mundo real … Estamos nos empenhando muito na tecnologia da próxima geração para fortalecer o fotorrealismo“. 

O caminho até aqui

Sweeney começou no setor com uma carreira em codificação e foi responsável pela criação do Unreal Engine, desenvolvido pela Epic Games. Vários dos maiores lançamentos do ano são equipados com o mecanismo, incluindo títulos como Final Fantasy 7 Remake da Square Enix.

Desafio: os humanos

De acordo com Sweeney, a complexidade que envolve os atributos físicos em torno de um humano virtual são os principais desafios para que o fotorrealismo rompa de vez a barreira entre o real e o virtual.

A parte mais difícil [do fotorrealismo] são os humanos digitais, porque desenvolvemos sistemas cerebrais muito … elaborados para reconhecer rostos, intenção e emoção. Portanto, ser capaz de transmitir realisticamente que algo nos jogos será um enorme desafio“. 

De fato, a busca por tornar os jogos mais realistas com a tecnologia de última geração é uma grande parte dos esforços de pesquisa da Epic. Contudo, uma grande preocupação é realizar tudo isso de uma maneira econômica.

A captura de movimento também se tornou uma grande parte do esforço dos gráficos fotorrealistas quando se trata de retratar os movimentos e poses faciais dos personagens. No início do ano passado, a Epic adquiriu o estúdio 3Lateral,

Outro desafio grande: O preço


Sweeney disse isso sobre a aquisição: “A equipe da 3Lateral, que agora faz parte da Epic, está impulsionando a iniciativa de humanos digitais: digitalizando humanos com enormes níveis de qualidade, poses faciais e também animação”. 

Diante disso, estão sendo dedicados grandes esforços aos pipelines de conteúdo, tanto para a criação sintética de conteúdo, como também para verificação de objetos no mundo real. 

Otimismo, apesar das dificuldades

Embora os desafios técnicos e financeiros beirem ao impraticável, Sweeney está otimista. “Já estamos vendo alguns gráficos realmente impressionantes no mundo dos videogames, e é empolgante pensar em onde a tecnologia da próxima geração pode nos levar no futuro com os próximos consoles.”

Por fim, Sweeney acredita que na próxima o fotorrealismo nos games já sera uma realidade. “Acho que está ao nosso alcance. Não está claro que possamos fazer isso. Mas sinto que no ritmo da inovação agora, isso pode acontecer dentro desse prazo“.