PS5
CEO da Sony soltou mais algumas informações valiosas.

Embora o assunto da vez seja de fato a iminência do PlayStation 5, muito já se especula quanto ao futuro dos games em geral. E uma dessas especulações é certamente quanto ao formato que comportará os jogos em um futuro não muito distante.

E diante de um mercado que ainda esse ano contará com Apple, Google e Amazon apostando em processamento de jogos em nuvem, tanto Sony quanto Microsoft parecem estar ainda estrategicamente calados quanto ao assunto, ainda que já tenham divulgado uma histórica parceria para atuar em nuvem juntos.

Entretanto, durante a primeira entrevista oficial desde que assumiu como CEO da Sony, Jim Ryan teve de responder na bucha o quão distante está o dia em que compraremos apenas um joystick da Sony, o apontaremos para uma smart Tv, acionando o app PS6 (ou 7) para jogar. A resposta, foi honesta e sensata.

“Quem sabe como é o mundo daqui a cinco anos? Quando você tem essas grandes empresas entrando em seu espaço, eu acho que simplesmente ver o mundo nos termos que você viu nos últimos 25 anos, com a concorrência que você teve nos últimos 25 anos, provavelmente não é uma abordagem muito sensata a tomar.

Nós, através de nossas ações e anúncios recentes, acreditamos que existe um grande mercado para a próxima geração de console. Mas não é binário. Não é como se, daqui a três semanas ou três anos, o mundo dos consoles parasse, e um mundo sem consoles – por mais que isso parecesse – subitamente assumirá o controle.

Qualquer transição será estável e gradual. Eu construí empresas PlayStation em todo o mundo. Posso falar sobre a infraestrutura em algumas partes do mundo onde temos empresas muito grandes, e elas não serão propícias para, você sabe, um modelo totalmente streaming por anos, anos e anos.

Afinal de contas, esse é ou não o último console?

De fato eu realmente não sei. Eu estive por aí um tempo, e eu sentei lá em 2012 e ouvi todos os tipos de pessoas inteligentes me falarem sobre o celular e que o PS4 seria o mais terrível fracasso de todos os tempos.

A lógica foi certamente difícil de criticar. Mas acreditamos naquele produto, acreditamos neste produto da próxima geração agora. Quem sabe como isso pode evoluir? Modelos híbridos entre console e algum tipo de modelo de nuvem? Possivelmente isso. Eu simplesmente não sei. E se eu soubesse, não te contaria.

Jym Ryan fala com a autoridade de que tem 25 anos de casa, isto é, do Play 1 até aqui.