Equipe visita fliperama radioativo de Fukushima

Publicado em 1/3/2019
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No começo de 2011, um surpreendente tsunami devastou o litoral de Fukushima, no Japão, matando quase 20 mil pessoas. O fenômeno ainda atingiu a usina nuclear da região, fazendo com que mais de 160 mil pessoas abandonassem suas casas, por conta da radiação que vazaria da usina parcialmente destruída.

Carros, motos, livros, objetos pessoais… absolutamente tudo ficou para trás. Entretanto, um explorador holandês resolveu conferir isso de perto, e descreveu o que mais lhe chamou a atenção: O fliperama radioativo da SEGA.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Vista do “pachinko”, como são chamadas as casas de jogos eletrônicos no Japão. Foto: Divulgação.

A equipe de Bob Thissen foi até o Japão, alugou carros, driblou a polícia japonesa e cortou vários caminhos até conseguir entrar na zona radioativa de Fukushima. E assim como era esperado, o que se encontrou foi uma verdadeira “cidade fantasma”.

Leia também: Sonic | Relatório da SEGA comemora números da franquia

Assistindo aos vídeos, muitos podem ter a sensação de que todos ali foram literalmente abduzidos, dada a peculiar organização nipônica. Contudo, há indícios de saques, segundo aponta o explorador.

E diante de cenários que causam tanto admiração quanto espanto, o que certamente mais chamou atenção da equipe nessa passagem foi o Fliperama.
Populares em todo o Japão, os Pachinkos, ーcomo são chamadas as casas de jogos eletrônicos por láー são lugares luminosos, barulhentos (como você pode notar em 5:20 do vídeo) e de temática colorida.
Contudo, o que viu é exatamente o contrário.

Confira algumas imagens:

Os japoneses ainda jogam muitos games clássicos nos pachinkos.
Embora os índices de radiação tenha baixado, o local ainda é considerado de risco.
Há oito anos nada aqui é ligado, ainda assim a conservação do local impressiona.
Aqui, uma das SEGA Halls de Tóquio, onde é possível notar o contraste com o cenári ode Fukushima
Aqui, máquina de pescar doces lembra pouco o aparelho brilhoso e musical que costuma ser
Até as moedas de apostas ficaram pra trás.
Máquina coberta por poeira radioativa

A aventura de tom displicente terminou sem incidentes para os exploradores, e ao que tudo indica, sem complicações legais.
No Brasil, o caso foi destaque no blog da Tectoy, parceira clássica da Sega.

Abaixo, você pode conferir o vídeo completo dessa visita ao fliperama Fantasma da SEGA, um lugar onde a expressão “ainda não caiu a ficha” faz uma triste alusão a esse episódio japonês.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio