GEORGE FLOYD EA
Imagem: Andrés Guzman (vetor de George Floyd).

Depois que George Floyd foi assassinado nos EUA na semana passada, uma forte onda de protestos antirracismo está percorrendo cidades pelo mundo. E diante da comoção do caso, várias empresas da indústria gamer estão se posicionando sobre esse tema. E entre cancelamentos de eventos, notas de repúdio e doações, a Eletronic Arts fez até o momento uma das mais abrangentes ações até o momento.

Além de anunciar a doação de US$ 1 milhão para várias organizações que combatem a injustiça racial, incluindo a Equal Justice Initiative e o NAACP Legal Defense & Educational Fund, a empresa comunicou que incentivará os funcionários a realizarem serviços voluntários com foco nessa questão.

Voluntariado

Durante uma vez por ano, todos os funcionários da EA no mundo estarão liberados de seus postos de trabalho para realizar serviços voluntários focados no combate à injustiça racial. Haverá uma lista de atividades que atendam a esse fim, e este será pago normalmente. Ao todo, serão cerca de 75.000 horas destinadas à questão da conscientização racial.

Eventos internos

No dia 9 de junho foi agendado para acontecer um bate-papo sobre preconceito e discriminação racial. Já no dia 19 será feito o Juneteenth, com voluntariado e participação em fóruns organizados pelo Black Electronic Arts Team ERG. Essas informações prometem ganhar mais detalhes em breve.

Doação em dobro

A EA abriu o sistema de doação para que os funcionários façam o mesmo de acordo com suas capacidades. Contudo, há um diferencial nesse processo: tudo que o funcionário doar, a empresa doa de novo. Isto significa dizer que se um funcionário doar 50 dólares, a EA chega junto com mais 50 dólares. Tudo isso fora o 1 milhão já doado.

O caso George Floyd

No dia 25 de maio de 2020 na cidade de Minneapolis-EUA, George Floyd (46), havia sido detido sob a acusação de usar uma nota falsa para comprar cigarros. Abordado pelos policiais, George foi levado ao chão e teve o pescoço pressionado pelo joelho de Derek Chauvin (44), por cerca de 8 minutos e 46 segundos, vindo a óbito na sequência.

Morte de George Floyd – Wikipédia, a enciclopédia livre

Boa parte da ação foi filmada por pessoas que passavam no local, que registraram a fala de Floyd, dizendo que não poderia respirar. A frase “I can’t Breathe” (eu não consigo respirar) virou um grito de protesto que acompanha as manifestações que se espalham pelo mundo desde então.

Foto do ex-policial de Minnesota Derek Chauvin após sua prisão.
Derek Chauvin, o policial que matou George Floyd em fotos de fichamento de presos. Imagens: MNDOC / REUTERS

Inicialmente apenas demitidos, a repercussão do caso fez com que Derek Chauvin e os outros policiais envolvidos fossem presos. Existe a possibilidade de saírem sob fiança, que foi fixada em 1 milhão de dólares para cada acusado. Ninguém pagou a fiança até o momento, a esposa de Derek já anunciou que irá se divorciar do marido independentemente do resultado da sentença, que pode chegar até 40 anos de prisão para os envolvidos.

Ex-policiais envolvidos na morte de George Floyd são detidos ...
Ex-policiais Chauvin, Thao, Lane e Kueng estão presos em Minneapolis
Imagens: Departamento de Polícia de Minneapolis

Confira abaixo outras atitudes da indústria gamer diante do caso George Floyd