Há mais de 10 anos em desenvolvimento, Six Days in Fallujah descumprirá promessa polêmica

Publicado em 9/3/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No mês passado, a Victura anunciou que havia adquirido os direitos de publicação de Six Days in Fallujah, um jogo que retrata a Segunda Batalha de Fallujah durante a Guerra do Iraque. O título está em desenvolvimento há mais de uma década, mas tem sido cercado de polêmica graças ao seu assunto.

Ontem (8), a empresa divulgou uma nova declaração sobre o próximo lançamento do jogo, e suas aparentes tentativas de destacar a complexidade dos eventos reais que aconteceram durante a Guerra do Iraque. Depois de declarações anteriores, a Polygon que indicava que não “faria um comentário político”, o editor voltou em sua publicação, afirmando que o assunto é “inseparável da política”. A declaração pode ser encontrada no Tweet embutido abaixo.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Durante a batalha real, as forças dos EUA teriam usado fósforo branco contra civis e combatentes inimigos, o que constitui um crime de guerra. Os jogadores não terão a opção de usar fósforo branco no jogo, mas seu uso aparentemente será abordado. Six Days in Fallujah apresentará uma combinação de elementos de tiro em primeira pessoa e documentários, e o último discutirá o uso do agente químico. Como resultado, alguns acusaram a Victura e a desenvolvedora Highwire Games de encobrir as atrocidades reais que aconteceram.

Embora os games tenham retratado a guerra por décadas, eles apenas ficam nesta parte, de mostrar, mas jamais de abordar de maneira mais real e crítica. Um desenvolvedor pode ter as melhores intenções ao abordar o assunto, mas os jogos de tiro em primeira pessoa geralmente glorificam e diminuem a violência.

Mesmo se Six Days in Fallujah conseguir oferecer um retrato preciso dos eventos que ocorreram em 2004, o jogador médio compreenderá as consequências para os civis iraquianos sem mostrar o uso de fósforo branco, ou incluir seu uso além das filmagens de documentário? Será que a comunidade árabe poderá ser vista de outra forma por parte destes jogadores? Essas são perguntas difíceis sem respostas conclusivas, e isso faz com que alguns questionem completamente a existência do jogo.

De acordo com publicações, o game será lançado para PlayStation 4, Microsoft Windows, Xbox 360, Xbox Series X, PlayStation 5, Xbox One e PlayStation 3.

Via: Twitter/Comic Book/Game Rant/Shake News/Polygon

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio