Nintendo afirma que a pirataria nos jogos é um ‘problema internacional’

Publicado em 20/11/2020
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A pirataria no Switch está provando ser um problema real para a Nintendo, mas é um problema que a empresa está enfrentando com unhas e dentes. A empresa já ganhou casos contra lojas online que revendem dispositivos que podem “desbloquear” o Switch, resultando em danos de $ 2 milhões em um caso. Seus esforços para proteger seu sistema também resultaram em prisões, um sinal claro de que a Nintendo não está brincando quando se trata de erradicar a pirataria do seu híbrido.

A big N recentemente fez outra ação contra um indivíduo que oferecia ferramentas de hacking online, tendo entrado com um processo contra o vendedor da Amazon Le Hoang Minh, que é acusado de vender o RCM Loader, um dispositivo USB que permite aos usuários burlar as medidas de direitos autorais da Nintendo e carregar arquivos pirateados e software não autorizado no console.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Iniciado em um tribunal de Seattle na quarta-feira (18), o processo (obtido pela Polygon) mostra a Nintendo alegar que a pirataria de software dessa natureza é um “problema internacional sério e cada vez pior”. O processo também confirma que a Nintendo emitiu inicialmente uma notificação DMCA (Digital Millennium Copyright Act) ao vendedor, que então fez uma reconvenção, o que permitiu que a listagem se tornasse ativa novamente. A única maneira de remover a lista uma segunda vez era entrar com um processo de violação, que é exatamente o que a Nintendo fez.

A Nintendo está pedindo $ 2.500 em danos por cada infração, valor que obteve em dois processos anteriores dessa natureza. Nessas ações, os vendedores foram acusados ​​de distribuir ferramentas de hardware e software feitas pela Team Xecuter, grupo do qual as detenções mencionadas foram feitas no início deste ano.

O Team Xecuter ganha dinheiro com seu trabalho, o que tornou o grupo muito polêmico, mesmo em círculos de hackers, onde no início deste ano, a equipe Xecuter declarou que “não estava feliz” com o que chamou de “censura” e “táticas de intimidação”.

A Nintendo não afirmou que o vendedor em questão estava distribuindo os produtos da Team Xecuter, mas menciona no processo que estava vendendo o software SX OS da Team Xecuter e outros programas de hacking com os RCM Loaders que ele listou na Amazon.

Fonte: IGN/Polygon/Nintendo Life

Leia também:

https://observatoriodegames.uol.com.br/destaque/nintendo-afirma-animal-crossing-nao-e-para-fins-politicos
https://observatoriodegames.uol.com.br/noticias/nintendo-quebra-seu-proprio-record-em-outubro
https://observatoriodegames.uol.com.br/destaque/tbt-nintendo-da-associacao-com-a-mafia-aos-jogos-infantis
https://observatoriodegames.uol.com.br/destaque/saiba-tudo-sobre-as-novidades-de-pokemon-go-beyond
https://observatoriodegames.uol.com.br/destaque/falsos-playstation-5-ja-estao-sendo-vendidos-online
https://observatoriodegames.uol.com.br/destaque/arte-oficial-de-resident-evil-village-pode-revelar-o-destino-de-importante-personagem
https://observatoriodegames.uol.com.br/destaque/prepare-o-estomago-e-os-presentes-nesta-nova-atualizacao-de-animal-crossing
https://observatoriodegames.uol.com.br/destaque/bonus-temporarios-da-covid-19-retornam-em-pokemon-go
https://observatoriodegames.uol.com.br/destaque/gta-online-confira-novidades-da-nova-atualizacao
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio