Ellis the last of us arte
Imagem: Divulgação

Dia 12 de outubro, ou o Dia das Crianças! Uma data que todos gostam, mesmo que seja um adulto. Ainda mais que neste século acabou a desculpa que “brinquedo” é coisa de criança. Principalmente com os vídeo games que disputam pau a pau a atenção com os grandões.

Mas voltando aos pequenos, eles também ganharam seu protagonismo dentro das narrativas, com personagens que se tornaram verdadeiros heróis pelos seus feitos. E não são games com temática infantil. São daqueles que todos amam jogar – alguns até voltados para o público mais velho -, mas que nunca perceberam que estão jogando com um personagem infantil. Portanto, vamos a nossa lista dos melhores personagens infantis do universo dos games!

Diddy Kong – Donkey Kong Country

Donkey Kong Country, lançado em 1994, introduziu um novo personagem, Diddy Kong. No manual do game de Donkey Kong 64 ele é descrito como o sobrinho presunçoso de Donkey Kong, mas sabemos que ele é o companheiro perfeito para herói. Desde o início da partida, já existe um verdadeiro vínculo entre Diddy e o jogador. O que mais cativa em Diddy é sua lealdade, algo que é uma falta nos personagens adultos dos games atuais.

O jovem Nathan Drake – Uncharted 4: A Thief’s End

O personagem adulto de Uncharted já é alguém para não se esquecer. Agora imagine quando descobrimos o seu passado, ou melhor, a sua infância? Muitas das cenas do jogo acabam tornando-se de molhar os olhos. Qualquer um com o mínimo de empatia irá criar um vínculo com sua versão criança.

Além do jovem Nate, também somos apresentados a Sam, seu irmão mais velho. A história mostra o quanto os irmãos passaram pelo diabo para conseguir sobreviver e ficamos com a pergunta: será que se Nate não tivesse conhecido Sully, ele seria o que se tornou quando adulto, ou chegaria a ser um?

Clementine – Telltale’s The Walking Dead

Uma personagem que comprova que as crianças são mais adaptativas que os adultos. Ela é sem dúvida alguma uma prova que esconder – proteger -, as crianças dos “males” do mundo, é uma tremenda desculpa. Os adultos que preferem fugir e se esconder dos monstros, não as crianças.

Clementine teve um grande crescimento dentro da franquia, tornando-se uma personagem central onde os outros, inclusive adultos, buscam o seu apoio. Além disso, a Telltale conseguiu criar uma protagonista única, onde os jogadores criam uma verdadeira empatia com a personagem, diferente de outros da série The Walking Dead, onde nós temos vontade de dar um tiro na cabeça.

Max e Chloe – Life is Strange: the Farewell Episode

Life is Strange é um jogo que aparece em quase todas as nossas listas entre os melhores. E novamente ele está de volta, agora com Max e Chloe. O episódio Farewell mergulha no passado das personagens, em uma época em que elas brincavam de piratas e caçavam tesouros escondidos.

Este é o principal tema do jogo, o que o torna Farewell um dos mais emocionantes, pois podemos conferir as reflexões de Max e o vínculo criado com Chloe. E o principal de tudo, é o episódio de despedida da primeira temporada de Life is Strange. Só que estes personagens não são apenas bons pela sua narrativa, mas sim por percebermos, novamente, o quanto crianças e adolescentes podem ser mais fortes e entender as dores que muitos adultos ainda não sentem. E também por abordar uma temática de violência psicológica gravíssima.

Ellie – The Last of Us

Nenhuma lista está perfeita se não existir Ellie. Ela é uma personagem quase que completa em vários quesitos psicológicos e se encaixa perfeitamente nesta de personagens infantis, de protagonismo feminino, entre outros.

O ponto positivo para ela nesta lista, é por sua ingenuidade. Quem não se comove com suas perguntas simples, como o que é uma van de sorvete? Além disso, ela é a comprovação de tudo o que está nos personagens acima: ela é leal, é forte, possui carisma, empatia, não teme mostrar seus sentimentos, e que toda criança consegue continuar a ser criança, mesmo em um mundo onde os adultos não conseguem sobreviver.

Leia também: