PC continuará sendo o maior mercado de eSports, afirma Felipe Oliveira, gerente de produtos da 2A.M

Publicado em 30/9/2020
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A nova geração de consoles está chegando. E sem dúvida o mercado está todo voltado para eles. Sites não se cansam de escrever sobre o poder do Playstation 5, Xbox Series X, quais serão os jogos, o que esperar etc. Pois bem, isto tudo é super interessante, são mais opções para os fãs, mas… os PCs ainda são – sem dúvida alguma -, os mais “pessoais” quando se trata de poder.

Pode haver muitas discussões a respeito, mas ninguém pode negar que o mercado de eSports é governado soberanamente pelos Desktops. Alguém aí já viu algo de torneios com o Playstation ou Xbox? Até existem, mas são ínfimos comparados com os de PCs.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Além disso, a maioria esmagadora de produtos são voltados para os donos de computadores. Teclados, mouses, headsets, monitores, cadeiras gamers, são apenas alguns dos muitos produtos para estes donos de Computadores Pessoais possuírem. Fora que quando o desktop começa a apresentar algum problema, é só comprar uma nova memória, processador ou logo montar como você o deseja.

Isto dá para fazer com os consoles? Pois bem. Não iremos debater PCs vs Consoles, mas sim como o mercado Gamer cresceu nestes últimos 10 anos, e graças aos PCs. Não há dúvida que a Nintendo, Sony e Microsoft (esta se beneficia nos dois mundos), possuem uma grande parcela neste crescimento.

Mas eles sempre estiveram ali, comendo pelas beiradas e sem ninguém perceber, com todo seu multiuso, continuam como parte da vida dos gamers, sendo nos eSports, streamings, lives entre outros. Confira abaixo a nossa entrevista com Felipe Oliveira, gerente de produtos da 2A.M, que falou um pouco sobre toda a cultura que envolve os PCs.

1. O mercado Gamer cresceu e muito na última década. Como vocês analisam os último 10 anos do segmento de PCs?

Nos últimos 10 anos, era muito raro ver lojas vendendo desktops. O mercado só existia para notebooks e o restante era praticamente mercado cinza. Grande parte desse crescimento foi por conta dos jogos e os eSports, quebraram muitas barreiras.

2. Atualmente os eSports movimentam milhões de dólares ao redor do mundo, inclusive com diversas várias competições. Vocês acham que os eSports alavancaram as vendas de PC gamers ou foram os PCs que ajudaram a elevar o segmento de jogos competitivos?

Com cada vez mais jogos expressivos e maiores campeonatos, mais pessoas se interessam pelos eSports e acabam migrando para o PC. Isso fez alavancar o mercado de desktops e peças.

3. Este tem sido um ano atípico para o mundo como um todo. Qual foi o impacto no setor de PCs?

Realmente 2020 está sendo um ano muito diferente para todo mundo, porém o mercado de PCs não foi impactado tanto quanto poderia ter sido. Um exemplo são as pessoas e empresas que adotaram home office e precisaram comprar notebooks e desktops para si ou funcionários. Outros acabaram comprando para lazer, por estarem dentro de casa por muito tempo.

4. Quais são as diferenças entre um PC “comum” e um para games?

São computadores completamente diferentes. Desde chipsets de placa mãe mais indicados para jogos do que outros, como as placas de vídeo, que são extremamente necessárias para jogar e nem sempre necessárias para uso comum.

5. Diferente de anos atrás, quando os consoles chegaram, o PC ainda era sinônimo de poder. Hoje a indústria é gigante e os PCs travam batalhas até mesmo com os dispositivos móveis. Como tem sido esta disputa?

Muito se fala em batalha, mas são tecnologias diferentes com usos diferentes. Não dá para comparar jogar em um PC gamer e em um smartphone. Os jogos não são os mesmos e a maneira de jogar é outra. Cada plataforma tem seus benefícios e todas elas formam um ecossistema completo, como: só se é possível jogar CSGO ou LoL no PC, que são jogos competitivos fortíssimos. Já o FreeFire é o grande jogo do mercado mobile. O FIFA e o Call of Duty, por exemplo, têm suas maiores ligas no consoles. São plataformas que se complementam.

6. Fale um pouco sobre a 2A.M. e o que podemos esperar dela para o futuro.

A 2 A.M. surgiu com o intuito de entregar a melhor solução possível para os gamers brasileiros. No último ano lançamos o E550 que foi uma grata surpresa, sendo o 1º e único notebook com processador de desktop disponível no país. E continuaremos assim, buscando entregar a melhor solução possível para os gamers e pra quem quer trabalhar com mais performance e produtividade. Estamos otimistas em aumentar nosso portfólio e oferecer mais produtos para o mercado.

7. Como vocês veem a chegada da nova geração de consoles? Ela irá abalar o mercado de PCs de forma positiva? Negativa?

Acredito que não abale o mercado de PCs de nenhuma maneira. Como citado anteriormente, são plataformas muito diferentes. Elas se complementam. O PC continuará sendo o maior mercado de eSports. Para quem gosta de consoles, é muito bacana ver que eles estão “alcançando” os gráficos que os PCs já entregavam.

8. Nem apenas de PCs do dia-a-dia ou para games vive o mundo. Como tem sido o trabalho e a venda para o mercado de streamers, desenvolvedores e profissionais? Ou seja, PCs/notebooks de alta performance para trabalho?

É um mercado muito grande. Esses profissionais demandam muita performance e confiabilidade nos seus dias, e com isso precisam de PCs e notebooks que entreguem essa performance. O E550 passou a atender uma parcela desse mercado, para quem precisa de mais performance com os nossos processadores de desktop. Tivemos muitos desenvolvedores, designers, arquitetos e engenheiros que optaram pelo E550 por ter essa performance a mais. Já os streamers têm como preferência os desktops, pois podem montar de acordo com suas necessidades.

Sobre a 2A.M.: Iniciou as operações em 2018 com linhas de acessórios, notebooks e desktops gamers, desenvolvidos em parceria com a NVIDIA, os quais priorizam uma experiência imersiva e de alta performance aos fãs de jogos. Resultado de um time de profissionais apaixonados por games e movidos pela inovação, 2A.M. é uma unidade de negócios autônoma, independente e blindada às demais marcas da Positivo Tecnologia – companhia responsável pela produção e distribuição dos produtos 2A.M.. Mais  informações:  http://www.2amgaming.com/  

Leia também:

https://observatoriodegames.uol.com.br/noticias/saiba-como-montar-o-seu-quarto-gamer
https://observatoriodegames.uol.com.br/mercado/monitor-gamer-criterios-para-comprar-um
https://observatoriodegames.uol.com.br/destaque/batcaverna-fala-sobre-a-franquia-batman-em-entrevista-exclusiva
https://observatoriodegames.uol.com.br/destaque/5-fantasticos-acessorios-gamers-que-todo-mundo-quer-mas-que-jamais-tera
https://observatoriodegames.uol.com.br/destaque/mortal-kombat-11-aftermath-pronto-para-o-dia-dos-mortos
https://observatoriodegames.uol.com.br/destaque/nyvi-estephan-luiz-hygino-yoda-e-fred-comandam-10-horas-de-play-together
https://observatoriodegames.uol.com.br/mercado/por-ate-r-57-mil-impostos-ps5-de-ouro-inicia-pre-venda-assista-o-video-do-modelo
https://observatoriodegames.uol.com.br/destaque/among-us-faz-downloads-do-discord-dispararem
https://observatoriodegames.uol.com.br/destaque/review-the-sims-4-star-wars-jornada-para-batuu
https://observatoriodegames.uol.com.br/destaque/como-desbloquear-a-mensagem-secreta-no-final-do-jogo-de-super-mario-galaxy
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio