Os piores games do mundo
Imagem: Ilustração

Toda empresa visa o lucro quando produz o seu game. Ela aguarda ansiosa pelo seu lançamento, em receber críticas positivas dos sites especializados e principalmente um ótimo retorno do público. Para isto, muitas vezes elas adaptam algum filme, livro e até quadrinhos de sucesso ou fazem uma continuação.

Mas nem sempre o que elas acham que será o apogeu acontece. A história dos games está recheada destes fracassos. E já era para a indústria ter aprendido, mas todo ano temos um novo exemplo. Neste TBT, iremos apresentar algum destes games que deveriam ter sido sinônimo de como produzir uma ótima história, jogabilidade entre outros fatores, mas se tornaram exemplos do que nunca deve ser feito.

ET

O fracasso de vendas e a quantidade enorme produzida, fez com que a Atari literalmente enterrasse os jogos do ET.

O exemplo mais clássico de um fracasso. ET é considerado um dos piores, se não o pior, game da história! Não é pra menos. Com uma jogabilidade travada, um enredo que ninguém conseguiu entender e sendo desenvolvido em tempo recorde para ser lançado no Natal de 1982, o jogo se tornou um dos motivos da crise dos consoles e que levou a Atari a sua ruína.

Sonic 2006

Aqui outro exemplo de pressa. Nem sempre um título de sucesso e mascote de uma empresa significa tranquilidade e que o público irá aceitar mais um jogo da franquia. Pelo contrário. Assim como ET, Sonic sofreu com sua jogabilidade. Além dos fãs reclamarem horrores da forma de controlar o ouriço, o game é cheio de bugs. Não adiantou ter um gráfico bonito e colorido, mas que não conseguiu encantar os fãs e jogadores do Playstation 3 e Xbox 360.

Star Trek 2013

Star Trek ou Jornada nas Estrelas para os fãs da velha guarda. Os trekkers (fãs da franquia), desejavam um game que fosse tão bom quanto a série há anos. Enquanto eles viam a alegria estampada nos olhos dos fãs de Star Wars, lágrimas de tristeza continuavam ser derramadas ao lado da frustração com os péssimos games que chegavam de Star Trek.

Parecia que a maldição finalmente estaria quebrada com a chegada de um título para o Playstation 3, Xbox 360 e PC. Mas de novo, um game sem qualidade alguma chegava para os consoles. Star Trek não possui nada de Star Trek. A começar por ser um game de tiro em terceira pessoa. Todos que conhecem um pouco da história, sabem que o principal do universo Trek, é ir “audaciosamente aonde ninguém jamais esteve”, ou seja, a exploração.

Mas não foi apenas ser um game de tiro que atrapalhou. Um design terrível que nem ao menos parecia ter sido feito para a geração de consoles, com vários bugs, jogabilidade repetitiva… e chega, pois é melhor ser esquecido.

Pac Man

O come come foi um dos maiores sucessos e papa fichas do seu tempo. E era de se esperar que quando a Atari o levou para o seu console caseiro, o Atari 2600, iria fazer a alegria das crianças e principalmente dos pais que não teriam mais como ficar questionando sobre o troco do pão.

Infelizmente, o game é deplorável! Pac Man começou como um dos jogos mais vendidos de todos os tempos e logo em seguida, como o jogo mais devolvido de todos os tempos! O motivo para esta péssima conversão foi porque a Atari simplesmente quis cortar custos para a produção do título desenvolvido pela Namco. E isto acarretou no que já era de se esperar: em vez de bolinhas, o personagem come tracinhos, fantasmas – que mais pareciam fantasmas – que piscavam tanto na tela que chegava a travar todo o game, entre outras coisas.

Junto com ET, Pac Man é colocado como um dos culpados da crise dos games do início da década de 1980. Mas eles realmente não são os culpados, assim como os títulos acima. Os grandes vilões são as empresas que visam mais o lucro do que a qualidade, atrapalhando a criatividade de seus desenvolvedores e achando que criar um game, é como fazer pastel, com todo respeito a quem o faz!

Leia também: