Usuários Oculus do Facebook estão boicotando o produto, entenda

Publicado em 19/8/2020
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A Oculus informou que a partir de outubro, todos os usuários terão que fazer login em uma conta do Facebook para usar os dispositivos de Realidade Virtual da empresa, uma revelação que atraiu a indignação generalizada dos usuários.

A empresa é um dos principais criadores de fones de ouvido de realidade virtual e fez seu nome com o Oculus Rift, um dos primeiros fones de ouvido de realidade virtual comercial do mercado. Foi comprado pelo Facebook em 2014.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Como acontece com qualquer grande aquisição corporativa, a compra da Oculus não causou falta de ansiedade para os consumidores. A Oculus foi rápida em prometer que a compra não mudaria a experiência do jogador de nenhuma forma significativa.

Seu fundador, Palmer Luckey, até garantiu oficialmente que os fãs não precisariam se conectar ao Facebook toda vez que quisessem usar um fone de ouvido Oculus. Enquanto estava na empresa, Luckey se tornou o centro de uma série de controvérsias, incluindo uma ação judicial multimilionária e um escândalo político. Ele deixou a Oculus em 2017.

Agora, as palavras do fundador estão sendo postas de lado. Um post da Oculus no Twitter anunciou que a empresa está mudando radicalmente seu sistema online, exigindo que os jogadores façam login em seus dispositivos Oculus através do Facebook.

Isso substituirá as contas Oculus do próprio sistema, que até agora estavam totalmente separadas da plataforma de mídia social. A partir de outubro, todos os novos usuários terão que fazer login pelo Facebook. Os jogadores existentes podem continuar usando suas contas Oculus por dois anos antes de serem forçados a mudar para a rede social ou perder muitas das funcionalidades de seus fones de ouvido.

Este anúncio foi recebido com ódio universal da comunidade de jogadores. Muitos usuários do Twitter acabaram por repreender a Oculus, incluindo grandes nomes dos jogos como Gordon McGladdery, cuja empresa de produção de música e som, a Shell in the Pit, forneceu música para jogos clássicos como Rogue Legacy e Untitled Goose, bem como para Godfall. McGladdery disse que pretende romper os laços com a Oculus. No momento em que este artigo foi escrito, a Oculus é atualmente o terceiro tópico de maior tendência no Twitter, puramente por causa do repúdio generalizado que esse anúncio causou.

A empresa tentou justificar a decisão alegando que um único sistema de conta universal tornará mais fácil para os jogadores se encontrarem e se conectarem. Os fãs não estão acreditando nisso. O Facebook é notório por seus esquemas de coleta de dados duvidosos, e a última coisa que as pessoas querem é que esse modelo de negócios invasivo apareça no espaço de jogos. Os usuários já estão exigindo reembolsos e prometendo comprar produtos VR dos concorrentes da Oculus, como o HTC Vive.

É sempre uma pena ver práticas comerciais desleais interferirem de forma tão dramática na satisfação das pessoas com um produto e, em um caso como este, boicotar a Oculus certamente parece a escolha certa para estes usuários. E o que precisa ser entendido pelas empresas é que “Oculus from Facebook”, ou seja, o produto, não as pessoas.

Leia também:

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio