E3 é cancelada pela terceira vez consecutiva e futuro do evento é questionado

E3 2022 também não irá acontecer como nos dois anos anteriores e jornalistas e público começam a questionar futuro do evento.

Publicado em 07/01/2022 11:01
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Desde seu primeiro evento foi realizado em 1995, a E3 ganhou a reputação de ser o maior evento de notícias de jogos do ano, o lar de anúncios surpreendentes e revelações de choque. A E3 foi realizada todos os anos de 1995 a 2020, quando sua seqüência foi interrompida pela pandemia COVID-19. A E3 2020 foi cancelada e então a E3 2021 foi realizada como um evento exclusivamente digital. O plano era trazer a E3 de volta com força total para o evento de 2022, mas parece que esses planos foram descarrilados.

Conforme relatado pelo VentureBeat, a E3 2022 em junho não será mais um evento presencial e será apenas online. Esta decisão foi tomada devido ao impacto contínuo da pandemia COVID-19, uma vez que a variante Omicron gerou um aumento nas hospitalizações e mortes. Enquanto alguns podem pensar que ainda é muito cedo para a E3 mudar para um evento exclusivamente online, parece que isso faz mais sentido para que as empresas de jogos não gastem dinheiro preparando-se para os estandes da E3 que nunca se materializam.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

É possível que a situação do COVID melhore muito em junho, mas é igualmente provável que o Omicron ou uma nova variante ainda esteja impedindo que a vida volte ao normal, então os organizadores da E3 estão tomando uma abordagem cautelosa. Não está claro quem estará envolvido na E3 2022, mas é provável que os suspeitos de sempre tenham algo a mostrar no evento deste ano.

A E3 do ano passado incluiu apresentações da Ubisoft, Gearbox Software, Microsoft, Square Enix, PC Gaming Show, Capcom e Nintendo, e é esperado é que essas empresas estarão de volta para a E3 2022 também. Mas também é possível que eles decidam hospedar o seu próprio evento, como a Sony que pulou a E3 nos últimos anos, ou como a Microsoft que participou da E3, mas ainda fez a sua própria.

Muitos eventos adjacentes à E3 ocorreram no ano passado, e é provável que muitos deles retornem em 2022 também. Por exemplo, a Electronic Arts provavelmente fará uma apresentação em vídeo equivalente à E3 de algum tipo, e já foi confirmado que o Summer Game Fest de Geoff Keighley está voltando em 2022. Desnecessário dizer que junho deve ser tão cheio de grandes anúncios de novos jogos quanto antes geralmente é, mesmo com a E3 sendo um evento apenas online pelo segundo ano consecutivo.

Será interessante ver se o E3 2023 marca o grande retorno do E3 a ser um grande evento pessoal ou se a pandemia COVID-19 continuará a manter as pessoas em casa. O tempo dirá, mas por enquanto, os jogadores podem esperar que a E3 2022 seja um evento apenas online.

Questionamentos

Alguns jornalistas e público estão questionando o futuro da E3. Como um evento, não apenas a E3 deveria ser questionada, mas todos os eventos gamers por um todo. Já faz um bom tempo, pelos menos uns 5 a 6 anos, que estes eventos se tornaram a mesmice. Os visitantes vão, jogam e vão embora. Nem mesmo aquele big lançamento de fazer um alvoroço andou acontecendo.

Lógico que tivemos alguns, mas de uma forma geral, empresas como a Playstation e Microsoft começaram e fazer a divulgação de seus exclusivos em seus próprios eventos. Outro fator é o comercial. A cada ano, os stands foram ficando cada vez mais caros e o apelo para se visitar cada um, diminuiu também. Sem ter o que fazer, com apenas alguns Arcades voltados para os VIPs ou liberado para o público geral, quase ninguém têm tempo de ficar ali horas e mais horas aguardando para jogar um SF5 que será lançado dias após o final do evento, por exemplo.

Ou como acontece no Brasil, onde os fãs gastam mais de 100 reais em uma entrada mais barata ou acima dos mil reais para ser VIP apenas para se ter segundos para tirar uma foto e um autógrafo de alguma celebridade. E o restante do evento ficar apenas vendo vitrines de stands onde a única diversão é fazer uma foto (!?).

Portanto, o futuro da E3 como evento presencial não é culpa do COVID. Se é esse o caso, a E3 está de parabéns por pensar no bolso das empresas e na saúde de seus visitantes. Para se participar de um evento do calibre da E3 é preciso de meses para preparação e que envolve centenas de pessoas EMPREGADAS. E se o evento é cancelado a dias de acontecer, as distribuidoras não verão um retorno e cabeças irão rolar.

Agora, se é como evento, presencial, sem problemas de pandemia, os problemas são muito mais embaixo e envolvem todo o mercado de jogos e não apenas o nome da E3.

Via: Game Rant/VGC/BBC/CNN
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Produtos recomendados

HD EXTERNO

Comprar

CONTROLES

Comprar

CONSOLES

Comprar

ACESSÓRIOS

Comprar

CADEIRA GAMER

Comprar

HEADSET

Comprar