Publicidade
Polêmica

Após comentário nazista do Flow Podcast, patrocinadores e entidades reagem ao conteúdo

Pelo direito de ser “anti-judeu”
Gostou? Compartilhe!
Monark
O apresentador Monark. (Imagem: reprodução)
Publicidade

Nesta segunda-feira (7), Monark, uma das vozes do podcast mais popular do Brasil, o Flow, deu uma declaração polêmica. Durante uma conversa com os deputados federais Tabata Amaral (PSB-SP) e Kim Kataguri (Podemos-SP), o apresentador disse deveria haver um partido nazista reconhecido pela lei.

Veja também:

    Monark começou dizendo que a “esquerda radical tem muito mais espaço do que a direita radical” e, na sua opinião, “as duas tinham que ter espaço”. E foi adiante: “Eu sou mais louco do que vocês. Eu acho que tinha que ter partido nazista reconhecido pela lei”, afirmou. Confira o momento abaixo:

    https://twitter.com/luiizarrocha/status/1491067626579238919

    Diante da fala, Tabata interveio e disse: “Liberdade de expressão termina onde a sua expressão coloca a vida do outro em risco. O nazismo é contra a população judaica. Isso coloca uma população inteira em risco.” Contudo, Monark seguiu sua linha de pensamento: “se um cara quisesse ser anti-judeu, eu acho que ele tinha o direito de ser”. E pergunta: “Você vai matar quem é anti-judeu? […] Ele não está sendo anti-vida, ele não gosta dos ideais [dos judeus].”Tabata Amaral explica que o judaísmo não é um sistema de ideais. “O judaísmo é uma identidade, uma religião, uma raça.”

    Continua depois da Publicidade

    Reação

    Menos de 24 horas após a declaração, as reações em torno do comentário do apresentador começaram a repercutir na imprensa, levando entidades ligadas ao tema, jornalistas, artistas e também os patrocinadores do programa, que estão enfrentando pressão de internautas para reavaliar o investimento.

    No Twitter, a página Judeus pela Democracia foi umas das primeiras a rebater o comentário:

    Entre os artistas, Teresa Cristina foi mais forte na rebatida e lembrou que a impunidade nesses casos segue até com patrocínio.

    Pela imprensa, o jornalista Guga Chacra foi o mais direto possível e chamou Monark de imbecil. “Um imbecil este rapaz com podcast popular que defende a legalização do Partido Nazista no Brasil. Os nazistas mataram 6 milhões de judeus em escala industrial no Holocausto, além de centenas de milhares de romas (ciganos) no Porajmos.”

    Patrocinadores

    No Twitter, os internautas estão pressionado os patrocinadores a deixarem o investimento. A Puma foi uma das primeiras a se posicionar sobre o episódio, mas está enfrentando dificuldades em provar que já não era mais patrocinadora do programa, conforme tem alegado nas redes sociais.

    O Flow Podcast é um dos programas mais populares do país nesse segmento, e fala de games e cultura pop no geral

    CONTEÚDO RELACIONADO