Elon Musk descobre o que todo jogador já sabia

Publicado em 6/7/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O CEO da Tesla, Elon Musk, está finalmente admitindo que subestimou o quão difícil é desenvolver um carro autônomo seguro e confiável. O que toda a comunidade de engenharia se levantou para dizer: “Não diga.” O mesmo vale para a comunidade gamer que já sabe disso há décadas, principalmente por verem este tipo de tecnologia ser discutida em seus títulos preferidos do universo gamer.

Assim como acontece com a ficção, os jogos também servem de base para uma “previsão” de tecnologias que podem chegar no futuro, além de servirem muitas vezes de teste para as empresas. É por causa do jogos que algumas tecnologias de “sentar no cockpit” e aprender como é a pista, que os pilotos da Fórmula 1 começaram a aproveitar o seu tempo e a economizar de dinheiro para fazerem suas melhores voltas, já que levar toda uma estrutura para determinados países começou a ficar impraticável.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Ou pelo menos é assim que deveria acontecer em muitos casos. Só que no mundo corporativo “cabeças brilhantes”, muitas vezes são apenas carecas ou cheias de brilhantina, e seguem apenas o que todos esperam e bajulam. E foi isto o que aconteceu com Musk. Com um incentivo grande em seu twitter, muitos fanboys continuaram a falar para que ele lançasse a última versão do software Full Self-Driving, mas se esqueceram do principal, assim como Musk: um veículo Tesla não se dirige sozinho sem a intervenção do motorista.

Prometo entregar, mas quando não se sabe

Elon Musk é um cara divertido, nerd, sempre é um destaque onde aparece, mas ele tem um sério problema com suas promessas. Principalmente quando se trata de seu software, o Full Self-Driving. Já em 2018 o CEO prometeu que o V9 (Versão 9) seria lançado em agosto e não aconteceu. Em 2019 ele fez de novo profetizando que “em um ano haveria mais de um milhão de carros com direção totalmente autônoma, com software e tudo”. Pois bem, semana passada Musk retornou todo orgulhoso prometendo: “O FSD 9 beta será lançado em breve, eu juro!”. Palavras dele.

Novamente em comparação ao universo gamer, Musk já deveria saber que não se promete nada, é só pegar como exemplo a CD Projek Red e seu título Cyberpunk 2077, que foi lançado devido a todo um apelo fanboy de jogadores que apenas querem, mas em muitas vezes, nem mesmo imaginam o que é o desenvolvimento de um produto. E assim como a CDPR, Capcom e tantas outras, a Tesla também está disposta a inovar sua tecnologia e testar versões beta de seu recurso de assistência do “piloto automático” com seus clientes, com o objetivo de coletar dados e resolver qualquer bug do sistema.

E como nesta área já é conhecido, os clientes da Tesla não se importam com isso, principalmente ao quase implorarem para serem inclusos na seleta lista para testar a versão atual do Full Self-Driving. Por este motivo, a Tesla tem ganho uma reputação como líder do setor de direção autônoma, mesmo que seus veículos fiquem continuamente abaixo do que a maioria dos especialistas definem como carro autônomo.

Problemas sérios

Um problema é um jogo dar bug, outro é um veículo. Neste caso como aconteceu nos últimos anos com Assassin´s Creed, Cyberpunk 2077, FIFA, entre outros, os donos destes jogos ficaram irritados, reclamaram, criaram memes, mas acabaram por receber algum tipo de pedido de desculpas, DLCs, e até mesmo o dinheiro de volta. Não existe o perigo do jogo cometer alguma coisa que possa ferir ou provocar danos a saúde do jogador. Bem, lógico que existem as famosas luzes de Pokémon, mas são casos mais raros.

Já com a Tesla, um mínimo de erro pode custar uma vida, portanto fazer promessas e fazer lançamentos antes da hora, é algo muito grave. De acordo com publicação do site The Verge, “a Tesla diz que o Autopilot é seguro – ele libera relatórios trimestrais com dados relatados seletivamente que, segundo ele, provam isso – mas também requer informações constantes do motorista para funcionar.”

“Enquanto isso, empresas de antivírus como a Waymo têm veículos reais sem motorista nas vias públicas, dando carona aos passageiros. A Waymo, como praticamente toda empresa de AV, usa uma combinação de diferentes sensores, como radar, câmeras, entre outros para garantir que haja redundâncias em caso de falha do sistema”, completa a matéria.

Só que segundo o site, a “Tesla recentemente mudou para um sistema de detecção apenas de câmera. O contraste entre a Tesla e todas as outras empresas que buscam tecnologia autônoma não poderia ser mais gritante.” O motivo do alerta é que se um sitema falhar, isto já é mais do que o suficiente para não inspirar confiança. Ainda mais que o número de investigações que foram abertas contra a empresa, envolvendo acidentes com o Autopilot, parece estar crescendo e indo ao contrário da promessa de Musk.

Elon Muks pode ter descoberto só agora que é complicado criar carros autônomos, já que toda a indústria, não só automotiva, já percebeu isso há anos, e que nunca se deve subestimar o quanto é complicado fazer com que os carros se “pilotem” sozinhos e apresentando confiança e muita segurança.

Pois bem Musk, é hora de prestar um pouco mais de atenção ao que as “crianças” jogam, pois eles podem ter algo para te ensinar.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio