Activision Blizzard é processada pela Califórnia por assédio e sexismo

Casos de assédio dentro da Activision são tão sérios, que relatório descreve funcionária que cometeu suicídio.

Publicado em 22/7/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Uma ação judicial do Departamento de Fair Employment and Housing da Califórnia foi movida contra a Activision Blizzard por alegações de desigualdade de pagamento, assédio sexual e retaliação contra funcionários, de acordo com novos relatórios. Alegações de uma cultura de “frat boy” (menino de fraternidade em tradução livre) foram incluídas de forma semelhante na denúncia feita contra a empresa com o processo dizendo que houve casos de mulheres sendo apalpadas e avanços sexuais indesejados de homens no ambiente de trabalho.

Caso de morte

Os documentos relativos ao processo descrevem esses tipos de encontros, como “rastejar em cubos”, em que os homens se embebedam no escritório e vão de cubículo em cubículo assediando funcionárias. O “assédio sexual constante” também foi descrito como um componente dessa cultura do “menino da fraternidade”. Em um caso, os documentos descreveram uma situação em que uma funcionária cometeu suicídio em uma viagem de trabalho que ela fez com um supervisor do sexo masculino.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Salários

A discrepância salarial foi outra preocupação importante destacada no processo. O mesmo afirma que as mulheres representam 20% da força de trabalho da Activision Blizzard, com “muito poucas mulheres” ocupando cargos importantes na empresa. Aquelas que alcançam essas funções – e as que não – são pagas menos do que os colegas de trabalho.

“Assim como os cargos executivos, as mulheres em toda a empresa são designadas a níveis de salários mais baixos e oportunidades mais baixas”, diz o processo. “As funcionárias recebem um salário inicial mais baixo e também ganham menos do que os homens para trabalhos substancialmente semelhantes. Os réus promovem as mulheres mais lentamente e as demitem mais rapidamente do que os homens. Diante de tais termos e condições de trabalho adversos, muitas mulheres foram forçadas a deixar a empresa.”

Reclamações foram feitas internamente

Reclamações de funcionários foram repassadas para recursos humanos e executivos, disse o processo, mas a Activision Blizzard supostamente deixou de agir a respeito. Fez o contrário, de acordo com o processo que afirma que os funcionários eram desencorajados a relatar os acontecimentos aos recursos humanos por causa do pessoal do departamento ter um relacionamento próximo com os acusados.

Resposta da empresa

Em uma declaração compartilhada com GamesIndustry.biz, a Activision Blizzard criticou a reclamação “distorcida” e “apressada” do Departamento de Trabalho da Califórnia. “O DFEH inclui descrições distorcidas e, em muitos casos, falsas do passado da Blizzard”, disse o comunicado. “Temos sido extremamente cooperativos com o DFEH ao longo de sua investigação, incluindo o fornecimento de dados extensos e ampla documentação, mas eles se recusaram a informar-nos quais problemas eles perceberam. Eles foram obrigados por lei a investigar adequadamente e a ter discussões de boa fé conosco para melhor compreender e resolver quaisquer reclamações ou preocupações antes de ir para o litígio, mas eles não o fizeram.”

Este não é o primeiro caso de problemas envolvendo grandes ou pequenas empresas. E infelizmente parece que este tipo de comportamento tóxico existente dentros delas não terá um fim tão rápido. Mas se a Blizzard afirmou que está fazendo algo, espera-se que realmente o faça e mostre os resultados.

Via: Bloomberg/Comic Book/GamesIndustry
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio