China quer jogos com menos violência e menos “homens afeminados”

China estabelece novas diretrizes para aprovações de jogos rejeitando a presença de violência, vício, adoração ao dinheiro e 'afeminação'.

Publicado em 17/09/2021 11:35
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A China anunciou uma nova legislação para videogames em agosto, projetada para limitar a quantidade de tempo que os menores podem jogar jogos online como League of Legends. Agora, o país também desacelerou seu processo de aprovação de videogames e pediu a necessidade de evitar jogos com um “conjunto de valores errado“, incluindo violência demais e ‘homens afeminados’. Embora isso possa parecer estranho, a China mostrou uma atitude marcadamente negativa em relação a personagens masculinos extravagantes no passado, como o personagem de League of Legends Taric.

Pode-se argumentar que a China tem uma das posições mais difíceis em relação aos videogames do mundo, como demonstra os novos regulamentos dos jogos que permitem que menores chineses joguem jogos online por apenas três horas por semana. Anteriormente, a China exigia que os desenvolvedores removessem esqueletos e conteúdo LGBT + dos jogos antes de permitir que eles fossem lançados no país, mas esta é a primeira vez que a negatividade em relação a ‘homens afeminados’ se torna uma política oficial.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Alegadamente, as autoridades ordenaram que as empresas de jogos e plataformas examinassem os novos jogos mais de perto e removessem conteúdo obsceno e violento, bem como conteúdo que incentiva tendências prejudiciais, como adoração ao dinheiro e afeminação. Essas novas diretrizes também exigem resistência a monopólios em potencial, design de jogos que incentive o vício a ser evitado, novas regras sobre transmissão ao vivo e novas restrições a anúncios envolvendo o endosso de celebridades. Enquanto essas novas diretrizes estão entrando em vigor, os criptomineradores chineses estão supostamente vendendo GPUs de ponta por um preço barato.

Aparentemente, a repressão contra ‘homens afeminados nos games’ decorre da percepção de que “eles são fisicamente fracos e emocionalmente frágeis, o que os torna incapazes de defender a nação de ameaças”. É interessante que eles parecem estender isso a Taric, o Escudo de Valoran, um membro de longa data da lista de League of Legends conhecido por seus dois visuais igualmente fabulosos – ambos substituídos por um visual mais padrão e fortemente blindado na China, isso também lhe dá uma expressão mais severa.

Quer ele esteja usando uma bela armadura cravejada de pedras preciosas ou um profundo decote em V e acessórios de cristal, Taric tem sido um curandeiro de linha de frente durável desde 2009, e a Riot recentemente parece ter confirmado que ele é bissexual. Isso não impediu Taric de jurar defender todo o cenário de League of Legends contra ameaças de outro mundo, uma ambição impressionante mesmo entre o resto dos campeões de League of Legends.

Supostamente, alguns líderes chineses podem perceber que o jogo está causando ou contribuindo para um abrandamento do caráter dos jovens do país. Se há ou não qualquer evidência para esta conclusão parece não estar claro.

Via: Game Rant/PC Gamer

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Produtos recomendados

HD EXTERNO

Comprar

CONTROLES

Comprar

CONSOLES

Comprar

ACESSÓRIOS

Comprar

CADEIRA GAMER

Comprar

HEADSET

Comprar