Fortnite 1984 | Paródia da Apple não impressionou o diretor do comercial original

Publicado em 1/9/2020
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Ridley Scott é um dos maiores nomes do cinema. O diretor com uma visão única, trouxe para as telas filmes que ainda são referência na cultura pop e serviram – e servem – de inspiração para muitas produções do universo gamer. Blade Runner, Alien, Gladiador entre outros, são apenas uma pequena parte de seu trabalho, além do comercial da Apple de 1984, que a Epic utilizou para parodiar o logo da maçã.

O vídeo de Fortnite foi um dos primeiros ataques em uma rivalidade em andamento entre a desenvolvedora Epic Games e a Apple, que a primeira usou para destacar as alegadas práticas comerciais anticompetitivas e injustas desta última. Tudo começou quando a Apple removeu o Fortnite da App Store depois que a Epic Games introduziu um sistema de pagamento claramente projetado para cortar a Apple dos lucros da moeda do jogo.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No dia em que Fortnite foi removido, a Epic lançou um anúncio em vídeo exortando a Apple por seu controle rígido sobre o iOS. O vídeo era uma paródia do próprio anúncio da Apple em 1984, que colocava o gigante da tecnologia no papel da sinistra corporação Big Brother (para os desavisados, Big Brother sempre foi um vilão e nunca um programa, o que acabou se tornando real com tudo o que acontece atualmente), que vinha combatendo em seu comercial original. O vídeo veio com uma mensagem apaixonada para “#FreeFortnite“, que se tornou uma hashtag popular no Twitter logo depois que o vídeo foi postado.

Anúncio original dirigido por Ridley Scott.

Como muitos já sabem, o anúncio original de 1984 foi dirigido por Ridley Scott. Ele foi questionado pelo IGN como se sentia a respeito de Fortnite usar seu trabalho contra a Apple, e ele não ficou nada impressionado. O diretor admitiu estar um tanto lisonjeado com o fato de Epic ter usado seu trabalho para enviar sua mensagem, mas disse que não estava particularmente interessado na mensagem em si.

O comercial original de Scott retratava a Apple como uma marca jovem e rebelde emergindo para enfrentar a IBM, que, familiarmente, estava enfrentando acusações de construir um monopólio em torno de sua tecnologia, sufocando a competição e criatividade e instituindo regulamentações draconianas.

Essas são todas as coisas de que a Epic está acusando a Apple agora, e muitos outros desenvolvedores e produtores de conteúdo concordam. O veredicto de Scott sobre essa reinterpretação de seu trabalho é um tanto confuso: enquanto a paródia de Fortnite reformula adequadamente a Apple como a própria força a que jurou se opor em 1984, Scott parece desejar que ela tivesse enviado uma mensagem que não tivesse nada a ver com a Apple. Não está claro qual deve ser essa mensagem, ou por que a Epic Games deve ser a única a enviá-la.

Todo o ponto de vista de Scott sobre o anúncio pode ser resumido em uma citação em que ele afirma: “Acho a animação incrível, a ideia excelente, a mensagem ‘ehh’.” Ele pode não ter ficado impressionado, mas muitos fãs do Fortnite ficaram. Muitos acharam que Ridley não entendeu o recado e viram que o diretor não entende de nada a respeito de Fortnite e o seu poder.

Mas é o contrário. O tema em si da propaganda é utilizar o Big Brother, que é baseado no livro 1984 de George Orwell. Na sociedade descrita por Orwell, todas as pessoas estão sob constante vigilância das autoridades, principalmente por teletelas (telescreen), sendo constantemente lembrados pela frase propaganda do Estado: “o Grande Irmão zela por ti” ou “o Grande Irmão está te observando” (do original “Big Brother is watching you”). A descrição física do “Grande Irmão” assemelha-se a Josef Stalin ou Horatio Herbert Kitchener.

E é exatamente isto o ‘ehh’ do diretor. Fortnite pode ter várias razões para lutar contra a Apple, mas ela também faz parte de um sistema que se aproveita do poder da mídia. Portanto, se a Epic tivesse usado de uma maneira mais abrangente sua crítica para todos os meios, Ridley teria visto esta mensagem com outros olhos.

De qualquer forma, a mensagem da Epic com 1984 deve ser vista com olhar histórico e não apenas paródico, pois ela lembra a Apple que um dia sofreu com este mesmo problema e hoje é o monstro que um dia combateu. Agora, será que a Epic irá se lembrar disso no futuro ou também se tornará um monstro a ser combatido por outra empresa?

Leia também:

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio