Funcionários do Twitch denunciam agressão sexual, racismo e outros crimes na empresa

Publicado em 13/10/2020
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Poucos meses após atualizar sua política de conduta comportamental dentro da plataforma para seus internautas, a Twitch está diante de sérias acusações internas que estão repercutindo com força na imprensa gamer internacional. De acordo com relatos colhidos pelo site GamesIndustry.biz, vários funcionários da Twitch apontaram que agressão sexual, misoginia e racismo têm acontecido há tempos na empresa.

Tudo teria começado logo após a declaração do CEO da Twitch, Emmett Shear, que postou em seu Twitter um memorando que enviou à equipe sobre as alegações, onde elogiava justamente qualquer medida tomada contra qualquer comportamento moral ou legalmente condenável na plataforma.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Logo após isso, um ex-funcionário teria achado demais tudo isso e entrado em contato com o site e feito as primeiras denúncias, algo que aconteceu pouco antes do site entrevistar 16 pessoas com passagem pela Twitch. Diante desses apontamentos, o site indagou os entrevistados sobre as supostas acusações, e parte deles não relatou qualquer problema dessa ordem, mas a outra parte confirmou as práticas.

De acordo com a parte que que confirmou a denúcia, esses problemas aconteciam em oportunidades que iam desde portas fechadas a grandes eventos. Alguns afirmaram que a empresa melhorou depois que foi comprada pela Amazon em 2014, mas outros disseram que os problemas ainda persistem.

Twitch repetidamente varreu relatos de assédio e abuso para debaixo do tapete: abuso sexual, verbal, físico e racismo“, disse um ex-funcionário ao Gamesindustry.biz. “E não apenas o meu. Aconteceu no escritório. Em eventos. Em reuniões e à portas fechadas. Foi desenfreado e inevitável. Ouvimos sobre isso nos corredores. Vimos em nossas mesas. Foi aberto e parte do trabalho.

Cusparada

Outro caso chocante foi o de um funcionário que relatou ter presenciado um colega de trabalho cuspir em outro durante uma discussão. Quando a vítima da cusparada foi fazer uma reclamação formal do ocorrido, a funcionária teria sido questionada sobre o que ela fez para merecer tal coisa. Vários funcionários alegaram também ocorrências de conduta “extremamente inadequada, abusiva, degradante e cruel”. 

Racismo

Outros alegaram que injúrias raciais eram comuns e tratadas como piadas. Relatos de culpabilização de vítimas semelhantes foram feitos por outros funcionários também. Confira outro relato exposto pelo site Games Industry:
Historicamente, os tomadores de decisão eram predominantemente brancos e homens, então eles descartaram as preocupações de segurança de minorias raciais e étnicas, mulheres e pessoas de outros grupos sub-representados“, disseram eles. “Eles ignoraram essas preocupações e disseram: ‘Quando priorizamos roteiros de produtos, é aqui que se encontram certas ferramentas e intervenções de segurança; vamos colocá-las no fundo, porque não são importantes para nós.’

“E eles não são importantes para eles por causa de sua experiência, e considerando sua experiência [pessoal] do usuário como a experiência do usuário [universal]. E eles não têm vozes na mesa que dizem: ‘Na verdade, isso é muito importante.’”

Bebidas

Outra prática que parece ter começado como uma forma de relaxar a todos acabou tendo desdobramentos condenáveis: a permissão de bebida alcóolica na empresa às sextas-feiras. ida alcóolica dentro da empresa às sextas-feiras. A unidade de São Francisco possuía um bar dentro de suas dependências, que era ativado sempre no último dia útil da semana.

Logo após a reunião semanal, era disponibilizado gratuitamente cerveja, vinho e outros tipos de bebida aos funcionários dali. O problema veio com o abuso disso tudo, o que resultou em episódios que vão de penetras a assédio. Após vários relatos decorrentes desses excessos, medidas foram tomadas, mas as polêmicas em torno disso ainda estavam longe de acabar.

Mudanças?

Diante de tantos casos que estouraram internamente, muita coisa mudou e a Twitch é hoje uma empresa muito diferente do que era no início, em vários aspectos. Contudo, muitas vítimas desse comportamento acreditam que tudo precisa ir muito mais além do que promessas. As declarações da primeira mulher a denunciar esses problemas ao Games Industry.Biz desafiam a eficiência dessas atitudes:

Trata-se de uma empresa falida, cultura tóxica e ambiente inseguro para as mulheres e o fato de que esses homens continuam a ser recompensados ​​e ascendem na indústria, enquanto as mulheres visadas continuam sendo reprimidas. Eu desafio você [CEO da Twitch] a cumprir sua palavra e provar a esta comunidade que você não está apenas reagindo à pressão pública por meio de um tuíte vazio, e mostrar seu compromisso em defender a criação de um local de trabalho e uma comunidade mais seguros para as mulheres.

Crie um RH imparcial.

Limpe os infratores e contrate pessoas que vivam os princípios que você deseja ver em sua plataforma.

Apenas sejam boas pessoas.

Acredite nas mulheres quando elas dizem que não se sentem seguras. Dê às mulheres oportunidades iguais de brilhar. Ouça eles. Crie uma perspectiva diversa dentro da empresa para que a plataforma represente uma visão precisa do mundo. Cumpra os seus Termos de Serviço e aja em caso de mau comportamento.

Eu sou apenas uma entre milhares de mulheres nesta comunidade que tem uma história como esta. Agora é a hora de mudar. Já tivemos o suficiente. Twitch, você está pronto para entrar em ação e finalmente ouvir suas histórias?

A defesa

Procurado pelo Gamesindustry.biz, a Twitch disse que leva a sério denúncias como essas, apontando ainda que algumas dessas alegações são mais antigas e as coisas mudaram ao longo dos anos.

Levamos qualquer alegação dessa natureza extremamente a sério, seja em nosso serviço ou dentro de nossa empresa, e trabalhamos rapidamente para investigá-las e tratá-las conforme apropriado. Qualquer sugestão em contrário representa falsamente nossa cultura, liderança e valores“, disse um porta-voz do Twitch Gamesindustry.biz. “Muitas dessas alegações têm anos e tomamos várias medidas para melhor proteger e apoiar nossos funcionários e comunidade e continuaremos a investir tempo e recursos nesta área.

Vale ressaltar que as acusações, embora sejam direcionadas à Twitch tem as denúncias focadas na unidade de São Francisco.

Via GamesIndustry.Biz/Brendan Sinclair

Leia também:

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio