Nova York processa Activision Blizzard e chama de irresponsável venda para Microsoft

As organizações da cidade de Nova York estão processando a Activision Blizzard, alegando que o CEO Bobby Kotick foi irresponsável ao organizar o acordo apressado da Microsoft.

Publicado em 05/05/2022 12:28
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A Activision Blizzard está enfrentando mais um processo, este movido pelo Sistema de Aposentadoria dos Funcionários da Cidade de Nova York e fundos de pensão que representam o corpo de bombeiros, a polícia e os professores da cidade. O processo, disponível via Axios, afirma que o CEO Bobby Kotick era “incapaz de negociar a venda da empresa” para a Microsoft e fez o acordo em parte para “escapar da responsabilidade” por seu papel em permitir má conduta e abuso no local de trabalho.

Os demandantes dizem que o processo surge de uma demanda de outubro de 2021 para inspecionar os livros e registros da Activision Blizzard como parte de uma investigação em seu conselho de administração, especificamente sua “falha em manter um ambiente de trabalho seguro e não discriminatório para seus (especificamente minorias e mulheres) funcionários e falha em agir em resposta a repetidas e graves alegações de má conduta, discriminação e assédio por parte dos executivos seniores da Activision.”

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A Activision cumpriu parcialmente, de acordo com a denúncia, mas em 18 de janeiro – enquanto a inspeção estava em andamento – a empresa anunciou o acordo de aquisição com a Microsoft . Os demandantes dizem que o acordo desvaloriza a Activision Blizzard – não apenas com base no prêmio do preço das ações, que o processo descreve como “irrisórios 1,16%”, mas também porque também não leva em conta o valor das “reivindicações derivadas” dos demandantes.

Essas reivindicações desaparecerão se e quando a Activision Blizzard se tornar uma subsidiária da Microsoft. O acordo aconteceu tão rapidamente e com um desconto tão grande, alegam os demandantes, porque os membros do conselho de administração da Activision Blizzard, e Kotick em particular, “enfrentaram uma forte probabilidade de responsabilidade por violações do dever fiduciário” por não abordar as alegações de má conduta na empresa.

“Não mais”, afirma o processo. “Com a fusão anunciada, Kotick será capaz de escapar inteiramente da responsabilidade e responsabilização e, em vez disso, continuará a atuar como executivo após o fechamento da fusão. Pior, apesar de sua potencial responsabilidade por violações do dever fiduciário, o Conselho permitiu que o próprio Kotick negociasse a transação com a Microsoft. A decisão do Conselho de confiar a Kotick o processo de negociação é imperdoável pela razão adicional de que Kotick recebe pessoalmente benefícios materiais substanciais cujo valor não está diretamente alinhado com o preço da fusão.”

O processo também faz referência à compra em março de 2022 de cerca de US$ 108 milhões em ações da Activision por Alexander von Furstenburg, Barry Diller e David Geffen – todos amigos ou associados de Kotick. Esse acordo desencadeou investigações sobre possíveis negociações com informações privilegiadas pelo Departamento de Justiça dos EUA e pela Comissão de Valores Mobiliários.

“Esses negócios altamente suspeitos podem entregar às três afiliadas de Kotick um lucro inesperado de mais de US$ 100 milhões”, afirma o processo. “A contínua suspeita de má conduta de Kotick, mesmo depois que a fusão foi acordada, ressalta ainda mais o fato de que Kotick não estava apto a negociar a fusão em nome da empresa”.

O advogado Richard Hoeg, da Hoeg Law, observou que o processo é uma “solicitação de livros e registros” relacionada à demanda inicial de registros – suas demandas incluem acesso às informações solicitadas em seu arquivamento original de 2021, bem como despesas e honorários advocatícios incorridos pela ação judicial e “alívio adicional que o tribunal considerar justo e apropriado” – e embora a linguagem seja apontada, Hoeg disse que é improvável que tenha influência na aquisição, que foi amplamente aprovada pelos acionistas na semana passada.

“Ok, então este é um pedido de livros e registros (não uma ação mais substantiva), não é movido pela prefeitura, mas por fundos que têm participação de investimento na Activision, e, para ser franco, a aprovação dos acionistas de 98% realmente prejudica o ‘o valor é muito baixo/argumento negociado inadequadamente’”, tuitou Hoeg. “Não é nada, mas comparado a tudo o que a Activision (e a Microsoft) estão fazendo… está bem próximo.”

Ainda assim, os obstáculos permanecem. A aquisição da Activision Blizzard pela Microsoft está sujeita à aprovação regulatória , o que pode ser problemático e, embora alguns processos tenham sido resolvidos, outros continuam se acumulando: em março, um funcionário da Activision Blizzard entrou com uma ação pedindo a remoção de Kotick como CEO por não resolver os problemas da empresa.

Em um e-mail enviado ao PC Gamer, um representante da Activision Blizzard disse que a empresa irá combater a reclamação. “Discordamos das alegações feitas nesta queixa e esperamos apresentar nossos argumentos ao Tribunal”, disse o representante.

Via: PC Gamer/Screen Rant/Axios
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Produtos recomendados

HD EXTERNO

Comprar

CONTROLES

Comprar

CONSOLES

Comprar

ACESSÓRIOS

Comprar

CADEIRA GAMER

Comprar

HEADSET

Comprar