Sony esnoba Japão no lançamento do PS5, aponta rumor

Publicado em 9/11/2020
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A Sony vem ‘americanizando’ cada vez mais a divisão PlayStation. Um exemplo disso, foi a mudança da sede principal da empresa do Japão para a Califórnia (EUA) e o próprio resultado do PS4 no país asiático. Agora, estes efeitos vão refletir negativamento no lançamento do PS5 na região Nipônica.

Quem revela o rumor é o site Bloomberg, informando que o Japão agora está de lado dos esforços do lançamento do novo videogame da Sony. O portal aponta ainda que até as equipes de desenvolvedores da PlayStation Japan Studios diminuíram.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em contra partida, enquanto a divisão está cada vez mais perto de sair de fato do Japão, a Sony Interactive Entertainment America vem ganhando ainda mais força. Com o sucesso nos EUA, diversos funcionários da Europa, Japão e de outras regiões foram desligados da Sony. O principal fator do ‘esquecimento’ do país Nipônico foi o fracasso nas vendas do PS4.

A cúpula diretora da empresa ficou decepcionada com os trabalhos de marketing do PS4 no país japonês. O resultado foi tão decepcionante que a comercialização não ultrapassou a do PS3.

O site Bloomberg relata ainda que alguns funcionários da PlayStation Japan informaram que foram esquecidos dos planos de lançamento do PS5, novo videogame da empresa. No momento, os mesmos aguardam instruções da sede americana.

Para deixar a situação mais crítica, a o estúdio japonês da Sony, que desenvolveu games como Bloodborne, Astro’s Playroom e The Last Guardia optou por não renovar contratos com diversos funcionários. Com tudo isso, como aponta o portal EuroGamer, a empresa mãe do PlayStation acredita que não precisa do Japão para ter grandes sucessos.

O PlayStation 5 será lançado em 12 de novembro no EUA, Japão, Canadá, México, Austrália, Nova Zelândia e Coreia do Sul. No dia 19 de novembro, o videogame fica disponível no Brasil e resto do mundo.

Fonte: Takashi Mochizuki/Bloomberg, Bruno Galvão/EuroGamer.

Leia também:

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio