Testadora tem ataque epilético jogando Cyberpunk 2077, mas continua

Publicado em 8/12/2020
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Uma testadora de games passou por maus bocados durante seu período de análises para o game Cyberpunk 2077. Liana Ruppert, do site Gamer Informer, afirmou ter sofrido uma grave convulsão ao interagir com os efeitos visuais do jogo futurista. Contudo, o mais espantoso no relato da testadora é que ela decidiu continuar com o jogo, mesmo sentindo que outras crises poderiam vir.

Continuei porque [eu mesma] tomei essa decisão, e sinto que essa decisão me ajudou a criar um pequeno guia para jogadores que querem participar deste jogo por medo de perder.” diz a testadora, alegando que sua atitude pode ajudar outros epiléticos a terem uma experiência mais segura no game.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Durante todo sua jornada no game, Liana procurou deixar pontuado os principais pontos que podem conter perigo para pessoas em suas condições, além de dar também suas impressões sobre outros aspectos do jogo.

O que acontece quando um epilético joga

De maneira geral, as pessoas que sofrem de epilepsia possuem um gatilho para ataques diante de luzes que piscam rapidamente, especificamente da variedade vermelha e branca. Isso pode acontecer inclusive com essa situação sendo vista na vida real e também nos jogos. Existem graus variados de sensibilidade para cada caso, mas no geral, os estúdios buscam advertir sempre que uma grande confusão de luzes está presente no conteúdo de um jogo.

No caso de Cyberpunk 2077, não se sabe, pelo menos por enquanto, quais são todos as advertências que foram colocadas nisto, dado que o jogo ainda nem saiu oficialmente.

ONG do Reino Unido pede investigação

Após saber do episódio da testadora, a ONG Epilepsy Action, localizada no Reino Unido, pediu atualizações urgentes para o Cyberpunk 2077. De acordo com um comunicado da diretora da ONG, Louise Cousins, todos estão alarmados e tristes com o episódio do game, que ainda nem foi lançado oficialmente, e já registra uma falha nesta área.

“O jogo apresenta luzes que piscam rapidamente e outras animações que podem causar convulsões em pessoas com epilepsia fotossensível. Esses recursos não são seguros e deveriam ser evitados para tornar o jogo mais acessível.

Com a enorme demanda e entusiasmo crescendo para seu lançamento, pode representar um sério risco para pessoas com epilepsia fotossensível. Os desenvolvedores do CD Projekt RED devem considerar como podem atualizar o jogo para torná-lo mais seguro. Um aviso de isenção de responsabilidade no início não é suficiente.

“Com a enorme demanda e entusiasmo crescendo para seu lançamento, pode representar um sério risco para pessoas com epilepsia fotossensível. Os desenvolvedores do CD Projekt RED devem considerar como podem atualizar o jogo para torná-lo mais seguro. Um aviso de isenção de responsabilidade no início não é suficiente.” diz uma parte do comunicado.

Associação de gamers com deficiência também se pronunciou

Steven Spohn, COO da Able Gamers, uma instituição de caridade para deficientes em jogos, se mostrou chocado com o relato e também pediu explicações dos desenvolvedores do game sobre o assunto.

Estou profundamente perturbado com os relatos que estou vendo de outros jogadores com deficiência”, escreveu ele. “As pessoas relatam enxaquecas, tonturas e sensibilidade à luz devido a esse tipo de iluminação. @CDPROJEKTRED Espero que você dê uma olhada nisso. Ninguém deveria correr o risco de ter uma convulsão para jogar um videogame.” disse Steven.

Até o momento, o Observatório de Games não constatou nenhuma resposta da CD Projekt sobre o episódio. A nota será atualizada assim que a empresa se pronunciar sobre o assunto.

Cyberpunk 2077 chega ao mercado no dia 10 de dezembro para as principais plataformas do mercado.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio