The Sims celebra o Mês do Orgulho LGBTQIA+ com presença de brasileiro

Celebre o orgulho LGBTQIA+ o ano todo com Simmers incríveis.

Publicado em 8/6/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A Equipe The Sims compartilhou Blog de Comunidade para falar um pouco sobre o orgulho LGBTQIA+, sua importância e também relação com o The Sims. Para isso, foram entrevistados alguns membros da comunidade que se identificam como LGBTQIA+, sendo que um deles é um brasileiro, e bastante conhecido por nós da comunidade, o Dimissauro!

Orgulho de ser The Sims

Assim como a grande maioria dos fãs, The Sims acredita na criação de um mundo melhor, tanto virtual quanto real. Para todos os envolvidos no desenvolvimento do jogo, isto significa um mundo feito de conexões e criatividade, cheio de alegria, sorrisos e confiança, que só surge ao encontrar (e ser) quem você é. Por este motivo, a comunidade resolveu comemorar isto e nos unir neste Mês do Orgulho! Como bem dito pela desenvolvedora “Seja você artista, sereia, pai ou mãe de duzentas crianças, garoto, garota ou nenhum dos dois ou ambos, orgulhe-se. Porque você faz o The Sims. O Orgulho faz o The Sims!” Confira abaixo os comentários destes jogadores e jogadoras de The Sims!

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Dimissauro (ele/dele)

Local: Brasil Joga desde: 2004

O criador de conteúdo Dimissauro descobriu o The Sims aos 13 anos e imediatamente soube que era o jogo da vida dele. “Os personagens LGBTQIA+ [na TV] sempre eram retratados de maneira irreal se comparados com outros personagens, como se eles só existissem para fazerem papéis cômicos,” Dimissauro pondera. “No The Sims, eu pude pela primeira vez criar um relacionamento com quem eu quisesse, fosse garoto ou garota. Um Sim LGBTQIA+ era aparentemente igual e era tratado do mesmo jeito que um Sim que não era LGBTQIA+. A liberdade e o respeito que o jogo me mostrou foram poderosos demais e eu finalmente entendi que era normal ser quem eu sou. Eles proporcionaram uma representação extremamente necessária para mim.”

Não havia muito disto na mídia brasileira nos anos 90 quando eu era criança. Dimissauro encontrou conforto no jogo e quando começou a transmitir vídeos, o The Sims o ajudou a superar a timidez e a se conectar com as pessoas. “Meu canal do YouTube e as transmissões de vídeo pelo Twitch só existem hoje porque a comunidade do The Sims é muito receptiva,” admite ele. “Eu adoro ver a diversidade da comunidade. As pessoas de lá me inspiram ao compartilhar suas histórias e criações, tanto dentro do jogo quando na vida real. Nenhuma das outras comunidades de jogo que já fiz parte criou um ambiente tão confortável para a individualidade das pessoas.”

eyAnton (ele/dele)

Local: Suécia Joga desde: 2000

eyAnton tinha seis anos de idade quando descobriu o The Sims. Após um início complicado (a Família Caixão talvez tenha tido um final infeliz e flamejante), hoje ele passa seu tempo construindo Lotes em seu canal do Twitch e fazendo amizades. “Eu adoro fazer parte da comunidade”, diz ele. “Eu amo quando nos ajudamos e nos inspiramos.”

Como streamer LGBTQIA+ e Game Changer, eyAnton está acostumado a ser inspiração. “Eu fui designado como mulher no nascimento,” diz ele, “mas nunca senti que aquilo era eu. Eu sempre senti que era homem. Hoje sou adulto e tenho orgulho de ser um homem transgênero.” Jogar The Sims o ajudou a fugir da disforia de gênero. “O The Sims normaliza que amor é amor realmente e que não tem que ser restrito a gêneros e identidades. No jogo, eu adoro paquerar Bob Panquecas e ter filhos com ele, porque o The Sims permite que você crie homens transgêneros capazes de ficarem grávidos!”

O conselho de eyAnton para a comunidade? “Não se esqueça de encorajar e ajudar a todo mundo. Jogue limpo e divirta-se!”

BeyondSims (ele/dele)

Local: Reino Unido Joga desde: 2002

Você pode reconhecer BeyondSims por seu site, BeyondSims. “A franquia The Sims é uma das coisas na minha vida que continuaram constantes e que sempre foi presente,” diz ele ao explicar o motivo por ter começado o site, em 2011. “Ela permite que eu jogue em um mundo e crie narrativas sem limites ou discriminações, que só tem amor e aceitação. O lugar onde eu cresci não era a região mais mente aberta do mundo, então, as primeiras vezes que percebi que eu era gay foram muito ruins. O The Sims foi uma das coisas que me ajudaram a processar a minha sexualidade, após aceitá-la e compreendê-la. Se eu não visse uma representação positiva ou pudesse explorar este campo, talvez a minha história fosse diferente.”

Hoje, BeyondSims trouxe esta representação para fora do jogo e a transformou em um canal para a comunidade. Além de gerenciar o BeyondSims.com, ele também fez o Encontro de Simmers, no Reino Unido. “Eu sempre me senti em casa e aceito nesta comunidade. O que mais me orgulha é como a comunidade apoia a todas as pessoas e acho que isto é uma coisa rara de se ver no mundo dos jogos. Se você precisa de ajuda com algo, sempre tem alguém para ajudar, e se você só quer mostrar sua última construção, sempre tem alguém para dar os parabéns!”

CaroloVazquez (ela/dela)

Local: Argentina Joga desde: 2000

CaroloVazquez passa muito tempo hoje criando a si mesma e a sua namorada como Sims. “Nós rimos, porque nossas Sims são muito parecidas conosco!” diz ela. “Adoramos planejar nossa futura casa no jogo e postar nas mídias sociais.” Recentemente, ela e suas amizades chegaram a fazer um conteúdo na Argentina, em que Simmers podiam criar uma casa para as duas.

Ela se lembra que foi aos 7 anos que começou a jogar o jogo e como aquilo a impactou. “Eu acho que foi no The Sims que eu vi pela primeira vez relacionamentos do mesmo gênero e isto foi demais. Eu tinha só sete anos no início dos anos 2000, então ninguém falava dos problemas dos LGBTQIA+.” Poder viver isto no jogo foi muito importante para ela. “A representação é muito importante, não só em séries de TV e filme, mas em videogames também,” diz ela. “Acho que na primeira vez que eu beijei uma menina estava jogando The Sims (na verdade, era a minha versão dos Sims, ele era ahaha) e tudo funcionou bem, então aqui estou, muito apaixonado pela minha namorada que não é um Sim.”

A construção da casa para CaroloVazquez e sua namorada não foi a única coisa que elas conseguiram com a comunidade. “As pessoas [da comunidade do The Sims] querem ajudar e ensinar a você como melhorar no jogo, torná-lo mais realista e criar casas incríveis. Acho que esta é a melhor coisa da comunidade do The Sims: todo mundo quer compartilhar os trabalhos feitos com você! Fico orgulhosa por sermos parte de uma comunidade que estimula as pessoas a viverem como quiserem, sendo livres e amar o que (e quem) quiserem de uma maneira benéfica.”

Simfan923 (ele/dele e ela/dela)

Local: Estados Unidos Joga desde: 2002

Simfan923 lembra de ver seu pai jogar The Sims quando era criança e joga desde então. “Eu joguei The Sims durante a maior parte da minha vida e é o jogo que me salva sempre que eu me sinto ansioso, triste ou quando quero dar boas risadas,” diz ele. “No início, o The Sims era o único lugar que eu sentia a segurança para ser 100% eu e isto incluía ser gay.”

Simfan923, reflete que, enquanto crescia, não se sentia capaz de viver esta parte da vida, mas a comunidade do jogo o influenciou muito. “Fazer parte de um grupo tão grande de pessoas de todo o mundo, que sentem que podem compartilhar suas histórias e criatividade com todo mundo, é incrível”, ele diz. “Com o tempo, eu melhorei minhas criações e, apesar da timidez na vida real, o The Sims proporcionou várias oportunidades para compartilhar a minha opinião e para ser quem eu sentia que não podia ser fora do jogo.”

Seja criando Sims para homenagear o Mês da História Preta ou construindo casas de pais solteiros, esta criatividade e este apoio da comunidade “acalentam o seu coração.” “Eu adoro fazer parte de uma comunidade que aceita todas as pessoas. Minha confiança aumentou e, no ano passado, apesar de não ser uma grande surpresa para mim, eu percebi que me identifico como não-binário. Então, fico feliz por poder ter minha identidade tanto dentro quando fora do jogo.”

Siga nossas redes:

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio