Publicidade
Justiça

Ubisoft tem ex-executivos presos por assédio sexual

As autoridades francesas prendem cinco ex-executivos da Ubisoft após investigarem alegações de assédio sexual na empresa.
Gostou? Compartilhe!
Ubisoft
(Imagem: Divulgação)
Publicidade

Cinco ex-executivos da Ubisoft foram detidos como resultado de uma investigação sobre alegações de assédio sexual na empresa. As prisões estão relacionadas ao processo de 2021 contra a Ubisoft por má conduta sexual sistêmica, movido pelo sindicato francês Solidaires Informatique. O caso em si decorre de uma onda de alegações de assédio e abuso no verão de 2020 contra altos funcionários da empresa.

As acusações de abuso levaram a Ubisoft a suspender vários executivos e encomendar uma investigação de terceiros sobre as alegações, o que resultou em várias demissões de alto perfil. As autoridades francesas abriram a sua própria investigação sobre as alegações depois do jornal Liberation, com sede em Paris, ter publicado uma extensa exposição sobre o alegado abuso no local de trabalho na Ubisoft, contendo 20 testemunhos corroboradores.

Esse caso resultou agora na prisão de cinco ex-executivos da Ubisoft, relata o Liberation. Três delas foram feitas em 3 de outubro, enquanto outros dois acusados teriam sido detidos hoje (4) cedo. A lista de detidos inclui Serge Hascoet, o ex-CCO da Ubisoft que renunciou devido às acusações de má conduta em julho de 2020.

Continua depois da Publicidade

O ex-número dois da empresa foi acusado de permitir que Tommy François, que anteriormente atuou como vice-presidente de serviços editoriais e criativos da Ubisoft , bem como o braço direito de Hascoet. Vários dos acusadores alegaram anteriormente que François se envolvia regularmente em comportamento predatório.

Um desses relatos descreveu uma agressão sexual na festa de Natal de uma empresa em 2015, alegando que o ex-executivo da Ubisoft tentou beijar à força uma funcionária enquanto ela estava detida por membros de sua equipe. Ela conseguiu fugir após uma briga, antes de relatar o incidente ao seu gerente no dia seguinte, apenas para ser informada de que apenas interpretou mal uma piada, conforme o mesmo depoimento.

O Liberation relatou também que François foi levado sob custódia como parte das prisões no início de outubro. As identidades dos três detidos restantes são atualmente desconhecidas. O CEO da Ubisoft, Yves Guillemot, culpou anteriormente seus subordinados pelas alegações de má conduta, dizendo que “certos indivíduos traíram a confiança” que ele lhes concedeu.

O executivo prometeu reprimir qualquer abuso potencial dentro da empresa em resposta à controvérsia, tendo dito isso em um e-mail de outubro de 2020 aos funcionários. Menos de um ano depois, a Aliança Tripartite para Práticas de Emprego Justas e Progressivas abriu uma investigação sobre a Ubisoft Singapura sobre uma série diferente de acusações alegando má conduta sexual e discriminação no estúdio do Extremo Oriente.

A investigação começou logo após o processo sindical mencionado, que também alegava que a Ubisoft Montreal ainda abrigava três gerentes envolvidos na polêmica original, mais de um ano depois que o escândalo veio à tona.

Via: Game Rant/Liberation

CONTEÚDO RELACIONADO