Ubisoft tem os funcionários mais insatisfeitos com má conduta da empresa

vários funcionários da Ubisoft expressaram insatisfação com a forma como a empresa lida com as alegações de má conduta.

Publicado em 11/7/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Já faz um tempo que as coisas não andam boas para os lados da indústria de games com notícias a respeito de má conduta de roteiristas e principalmente de empresas. A Riot Games foi uma das afetadas com acusações de “discriminação de gênero endêmica e criação de um ambiente que preza ‘homens em primeiro lugar’” em 2018, além da própria Ubisoft.

Depois de fazer o lançamento de seu próximo grande projeto, Assassin’s Creed Infinity, notícias começaram a circular sobre as alegações de má conduta sexual contra a empresa. Para aqueles que possam ter perdido algo sobre o assunto, a Ubisoft em 2020 sofreu acusações que resultou na saída de vários chefes como o ex-CCO Serge Hascoet. Além disso nasceu o movimento Assassin´s Creed Sisterhood e tantos outros pedindo que a Ubisoft começasse a se responsabilizar sobre estes assuntos. Mas conforme publicado pelo site Bloomberg, isto não está acontecendo.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O site Bloomberg revelou que “as equipes envolvidas com o projeto Assassin’s Creed Infinity foram impactadas pelas acusações, com uma porta-voz da Ubisoft afirmando que a empresa investigou todas as alegações de má conduta sexual e tomou as medidas cabíveis. Mas toda e qualquer forma de reorganização para resolver esses problemas não parece estar deixando os funcionários da Ubisoft felizes.” De acordo com o Bloomberg, a empresa possui novas reclamaçoes e alegações de má conduta.

Segundo o site, “alguns gerentes que foram acusados de comportamento abusivo permanecem em cargos de liderança após a reorganização”. Isso agravou mais ainda no mês passado quando o sindicato francês Soldaires Informatique informou que pelo menos três gerentes da Ubisoft Montreal foram acusados de assédio ou comportamento tóxico, além de racismo e sexismo que foram levados ao RH que nada fez.

O que torna ainda mais problemático isso tudo, é que tanto Montreal quanto Quebec são colaboradoras do desenvolvimento de Assassin’s Creed Infinity. Além disso é fato que a Ubisfot Montreal tem perdido muitos funcionários, motivo pelo qual parece muito bem explicado.

Um porta-voz da Ubisoft não falou nada a respeito de casos individuais, mas soltou uma declaração: “Qualquer funcionário que tivesse alegações e permanecesse na Ubisoft teve seu caso analisado rigorosamente por um terceiro e foi exonerado ou passou por ações disciplinares apropriadas. Os funcionários que estiveram sob investigação não permaneceriam na Ubisoft se os resultados das investigações justificassem o encerramento.”

Se a empresa parece não tomar providências, os fãs o fazem. No último Ubisoft Forward, a comunidade de Assassin´s Creed boicotou o evento. Era até aguardado que o presidente da empresa Yves Guillemot comentasse algo, o que não aconteceu. Infelizmente pela publicação da Bloomberg, parece que a Ubisoft não está se mexendo como era esperado. Uma pena.

Via: Game Rant/Bloomberg
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio