Jogo de Pokémon demite dois policiais por justa causa

Policiais foram demitidos por perseguir Snorlax em vez de ladrões

Policiais demitidos
Publicidade

Dois policiais de Los Angeles foram dispensados ​​por ignorar uma chamada de assalto próxima em um shopping para que pudessem contiuar a jogar Pokémon Go, de acordo com documentos judiciais recém-divulgados. O incidente não é novo e aconteceu em 15 de abril de 2017 quando os dois policiais, Louis Lozano e Eric Mitchell, eram parceiros em uma patrulha a pé.

Uma ligação foi recebida para um assalto em andamento em uma loja Macy’s no Crenshaw Mall, em Los Angeles. Quando a ligação chegou, um capitão pôde ver a loja de onde ele estava. Ele notou um carro da polícia em um beco próximo, segundo os documentos do tribunal. Quando a unidade não respondeu à chamada, ele assumiu que poderia ser uma unidade de tráfego ou de uma outra divisão em uma frequência diferente.

O capitão decidiu responder ao chamado. Ao mesmo tempo, ele viu o veículo da polícia sair do beco, segundo os documentos. Um sargento que trabalhava no escritório do comandante da guarda descreveu os minutos que se seguiram como “caóticos”. Ele notou o capitão respondendo e viu que Mitchell e Lozano estavam localizados nas proximidades também. Ele tentou falar com os dois pelo rádio e pedir que respondessem também, mas não recebeu resposta, segundo documentos.

Continua depois da publicidade

O sargento se encontrou com Lozano e Mitchell mais tarde naquela noite. Disseram que não ouviram o chamado. O sargento percebeu depois de revisar o vídeo da câmera do painel de seu veículo de patrulha que eles ouviram a chamada de rádio sobre o roubo em andamento, discutiram e optaram por não responder.

Um detetive conduzindo a investigação interna ouviu atentamente a gravação da câmera do painel várias vezes. O detetive ficou preocupado que Mitchell e Lozano estivessem jogando Pokémon Go enquanto estavam de plantão no dia do assalto. Logo depois que os dois foram gravados discutindo a verificação das comunicações sobre a ligação do roubo, a câmera do painel pegou Mitchell alertando Lozano que um Snorlax havia “acabado de aparecer”. Os dois discutiram as rotas para chegar até lá e quanto tempo teriam para fazê-lo, segundo os registros do tribunal.

Então, pelos próximos 20 minutos, a câmera do painel capturou Mitchell e Lozano falando sobre Pokémon enquanto eles dirigiam para locais diferentes. Mitchell apontou para Lozano quando um Togetic apareceu no caminho para o local de Snorlax, conforme relato abaixo.

“Não fuja. Não fuja”, Mitchell é ouvido dizendo. “Peguei ele.”

“P#t4 merda, cara. Essa coisa está lutando contra mim”, disse Michell. “C4r@lh&. Finalmente.”

Eles inicialmente negaram jogar o jogo. Lozano e Mitchell foram liberados após uma audiência, segundo os documentos. Eles apelaram, argumentando que as conversas capturadas no vídeo da câmera do painel eram privadas e que dispensá-los era uma punição muito dura, dadas as circunstâncias.

Eles perderam o apelo. Este é um caso típico de vício em jogos que tantas vezes é alertado. Pode parecer engraçado, mas com certeza não foi para as vítimas do assalto. Várias pessoas já disseram sofrer de vício em videogames, como o ator James McAvoy. Confira abaixo entrevista sobre o assunto com o médico gamer Dr. Victor Kurita.

Via: Breezy Scrool/CBS 17/BBC

Publicidade
© 2022 Observatório de Games | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade