Nintendo está processando um hacker chamado Gary BOWSER

O hacker Bowser está sob custódia, nos EUA, após ter sido preso e deportado da República Dominicana em setembro

Bowser
Publicidade

É uma semana de contestações estranhas envolvendo Bowser e Nintendo. Isto porque depois da Big reivindicar seus direitos diante de uma suposta genitália do personagem, agora é a vez de processar um xará do vilão de Mario. De acordo com o Polygon, a Nintendo of America entrou com um processo contra um hacker de Switch chamado Gary Bowser, cidadão canadense de 51 anos e suposto membro da equipe de criadores de hack do Switch Xecuter. Doug Bowser, presidente da Nintendo of America, é quem está processando o hacker.

O governo dos EUA emitiu diversas acusações federais contra Bowser, em outubro do ano passado. Além dele, o governo também fez acusações contra Max Louarn, cidadão francês de 48 anos, e Yuanning Chen, de 35 anos, China. Os cidadãos citados são supostos membros do Time Xecuter.

Atualmente, o hacker Bowser está sob custódia, nos EUA, após ter sido preso e deportado da República Dominicana em setembro. Louarn foi preso no Canadá e Chen ainda está foragido. O que parece é que a Nintendo está aproveitando ao máximo a custódia de Gary, nos EUA. Ainda segundo o Polygon, o novo processo alega que o hacker infringiu os direitos autorais da Nintendo, ao criar e vender seus hacks. O processo tenta acusar o hacker de duas acusações de tráfico e uma de violação de direitos autorais.

Continua depois da publicidade

Para aqueles que não sabem, a empresa Xecuter é famosa por hackear produtos Switch, principalmente. Polygon relatou ainda que a Nintendo quer danos de $2.500 para cada dispositivo traficado, $150.000 para cada violação de direitos autorais e a paralisação completa das operações de Bowser. Mais atualizações sobre o caso serão publicados aqui.

Via: Wesley Yin-Poole/EurogamerPt

Publicidade
© 2021 Observatório de Games | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade