[Vídeo] Veja Super Mario Kart rodando no modo desenvolvedor

Ele descobriu referências dentro do código de um protótipo de Super Mario Kart 1991

Super Mario Kart
Publicidade

Um modder (programador que modifica os códigos de games afim de gerar resultados visuais diferentes) chamado ‘MrL314’ resolveu restaurar um editor oficial de pistas do Super Mario Kart, usado pela Nintendo para criar o jogo Super Nintendo original.

Primeiro, ele descobriu referências ao editor de pistas dentro do código de um protótipo de Super Mario Kart 1991, que vazou online no ano passado, como parte do Nintendo ‘Gigaleak’.

Esse protótipo revelou o código para a funcionalidade SFX-DOS de Super Mario Kart, ou Super Famicom DOS, que era o sistema operacional interno da Nintendo, usado para o desenvolvimento de jogos SNES. Ele permitiu aos desenvolvedores ler e gravar dados diretamente no console, e usar periféricos de PC como teclado e disquete externo. Então, aos longo dos meses, o hacker foi capaz de restaurar a funcionalidade SFX-DOS, criando seu próprio reparo personalizado para alguns recursos ausentes no vazamento.

Continua depois da publicidade

No vídeo, você pode ver o editor restaurado, que permite que os usuários coloquem itens em uma trilha, como aumentos e bloqueios de velocidade. Mesmo que editores de pistas feitos por fãs tenham existido, esta é a primeira vez que um jogador foi capaz de editar pistas como os criadores de Mario Kart fizeram para construir o jogo. Veja:

“Existem alguns editores de nível no próprio jogo”, falou o modder ao VGC“O que mostrei [no Twitter] era para colocar ladrilhos de sobreposição, como painéis de itens, setas de aumento de velocidade, paredes e, em parcelas posteriores, óleo, moedas e barras de salto. Existem dois outros editores: um deles é projetado para os dados de ponto de verificação de controle de IA, e o outro é para colocar os objetos ‘3D’ como Pipes, Monty Moles, Cheep Cheep, etc”, disse ainda.

O modder acrescentou que para mais informações sobre isso, bastar olhar os dados do modo de depuração que foram documentados nesta página TCRF. Além disso, MrL314 falou que existem algumas limitações para a versão emulada do editor.

“Você não pode editar diretamente a trilha em si, já que isso teria sido feito em um programa de edição de blocos, e os objetos que você coloca (nos editores posteriores) podem ser apenas os objetos que se enquadram no tema do nível”, disse.

O modder explicou também que os editores de Super Mario Kart permitiram que a Nintendo trabalhasse diretamente no console SNES, colocando dados com precisão. “Normalmente, acessar dados de dentro de um cartucho é um processo difícil. Normalmente, os dados persistentes seriam armazenados no chip SRAM, mas é um chip alimentado por bateria e é difícil de ler e gravar dados diretamente para ele. É aqui que entra o SFX-DOS”, falou.

“O SFX-DOS era um sistema operacional interno da Nintendo, criado para uso do desenvolvedor em hardware de desenvolvimento especial. Basicamente, ele transformou o SNES em um computador pessoal e permitiu a interface com coisas como um teclado, uma porta RS232C, uma porta paralela, uma impressora e um controlador de disquete”, disse ainda.

O código descoberto no Gigaleak infelizmente está faltando alguns elementos, que o modder precisou restaurar por si mesmo, para fazer ele funcionar.

“Muitas das funcionalidades básicas já estavam no jogo, mas muitos dos detalhes mais sutis do fluxo de código, como o gerenciamento de interrupções de software, onde o jogo lê e grava dados, e como deixar o jogo ainda rodar normalmente junto com o SFX- A funcionalidade do DOS estava quebrada”, falou.

“Consegui reparar as funções no próprio jogo e fazer com que o jogo processasse todos os dados da maneira esperada. Como este patch é parte do protótipo de novembro de 91 (que no momento ainda estou reparando), vou lançar essa correção assim que lançar o reparo de novembro de 91″, disse ainda.

MrL314 pretende consertar a funcionalidade do editor, para que os fãs possam criar como os desenvolvedores originais fizeram. “Hoje em dia, esse recurso não é tão importante para a comunidade de hackers SMK, já que a maior parte da funcionalidade dos modos de editor é tratada em softwares como o Epic Edit by stifu”, falou o hacker.

“No entanto, dá uma boa ideia de como os desenvolvedores originais fizeram o jogo! Eu também desafiei pessoalmente a comunidade SMK Workshop a fazer um hack de Super Mario Kart sem usar ferramentas de hacking modernas e desenvolver como a Nintendo faria nos anos 90″, completou.

Via: Andy Robinson/VGC

Publicidade
© 2021 Observatório de Games | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade