Publicidade

A NVIDIA rejeita a Memória HBM3E da Samsung, mas a empresa nega isso

Gostou? Compartilhe!
Publicidade

As vendas das memórias HBM3E e HBM3 da Samsung enfrentam dificuldades, com ambos os módulos mostrando problemas de aquecimento e alto consumo de energia. Os produtos “HBM” não passaram nos testes de qualificação da NVIDIA, o que sugere que os pedidos podem ser reduzidos ou até inexistentes até que a situação seja resolvida.

Veja também:

    Rumores sobre esses problemas já circulavam na indústria, e a Reuters confirmou que o desenvolvimento desses módulos não atingiu as expectativas da empresa de Jensen Huang. Isso representa um grande risco para a estratégia de crescimento da divisão de memórias da Samsung.

    A desqualificação pela NVIDIA pode não apenas afetar a venda de memórias HBM3 e HBM3E da Samsung para a NVIDIA, mas também prejudicar seus negócios com outros parceiros comerciais, dificultando a adoção em massa desses produtos.

    Continua depois da Publicidade

    Apesar de não terem passado nos testes de qualidade da NVIDIA, isso não implica necessariamente que o processo da Samsung seja falho. A empresa sul-coreana continua a fornecer memórias HBM3 para a AMD, utilizadas no acelerador Instinct MI300X.

    SAMSUNG NEGA FALTA DE QUALIDADE

    Em entrevista ao Business Korea, a Samsung negou que sua memória HBM3E tenha falhado nos testes de qualidade. A empresa afirmou que está realizando diversos testes em parceria com clientes para otimizar desempenho e confiabilidade.

    “Estamos conduzindo suavemente testes para o fornecimento de HBM com vários parceiros globais. Estivemos fazendo esforços para aprimorar a qualidade e reforçar a confiabilidade de todos os nossos produtos. Estamos rigorosamente testando a qualidade e desempenho de nossos produtos HBM para providenciar as melhores soluções aos nossos consumidores

    Inicialmente, os rumores indicavam que a NVIDIA estava decepcionada com o desempenho da memória HBM3E da Samsung, especialmente quando comparada com os padrões estabelecidos pela SK Hynix, que continua a avançar neste segmento. É relevante destacar que ambas as empresas estiveram presentes na GTC 2024 e estão “sob análise”.

    Além de buscarem um parceiro comercial para o GDDR7, que será um dos principais diferenciais das GeForce RTX 50 “Blackwell”, a HBM3E também desempenhará um papel crucial nos aceleradores de inteligência artificial, um dos principais focos da NVIDIA atualmente.

    A busca por um parceiro para o GDDR7 reflete a importância de ter componentes de alta qualidade para manter a competitividade das futuras placas gráficas da NVIDIA. A HBM3E, por sua vez, será fundamental para o desempenho dos aceleradores de IA, que são estratégicos para a empresa.

    Neste contexto, a colaboração entre fabricantes de memórias e empresas de tecnologia é essencial para garantir que os produtos atendam às expectativas do mercado. A capacidade da Samsung de melhorar e adaptar suas memórias HBM3E será decisiva para recuperar a confiança da NVIDIA e fortalecer sua posição no mercado.

    CONTEÚDO RELACIONADO