US Army Twitch
Imagem: Divulgação

Uma emenda encabeçada pela representante dos EUA Alexandria Ocasio-Cortez para proibir o recrutamento militar no Twitch foi rejeitada no Comitê de Apropriações da Câmara. Os resultados foram inequívocos: 126 votaram a favor da emenda, enquanto 292 votaram contra.

A maioria dos que se opunham à emenda era republicana com 188 votos, embora 103 democratas e um independente também tenham votado contra as mudanças no projeto. A maioria dos democratas votou a favor da mudança, enquanto os representantes republicanos se uniram por unanimidade.

Ocasio-Cortez foi ao Twitter após a votação, citando o analfabetismo tecnológico como um dos fatores que contribuíram para os resultados. “Está tudo bem se você não sabe o que é o Twitch”, escreveu ela. “Mas a tecnologia literária está se tornando uma necessidade crescente no Congresso para que possamos legislar para proteger a privacidade das pessoas. Quando nossos órgãos legislativos não respondem suficientemente à tecnologia, isso significa que não temos as ferramentas necessárias para proteger as pessoas. Isso é parcialmente porque as empresas sabem muito mais sobre você do que você pode estar ciente – porque é legal, e o Congresso está lutando para manter”.

O envolvimento do exército dos EUA com o Twitch ficou sob os holofotes este mês, principalmente quando sua conta viola os Termos de Serviço da plataforma. Antes, a conta do Twitch do Exército dos EUA estava sendo bombardeada com perguntas sobre crimes de guerra, que foram rapidamente excluídos pelos moderadores. Abaixo o discurso que Ocazio-Cortez fez na Casa:

As discussões sobre privacidade nos EUA e Europa tem ganhado força nos últimos tempos, com influenciadores como Ninja, questionando empresas sobre o uso de dados dos usuários, além de pseudos entendidos na indústria de games a criticarem como um mal para as pessoas. E você? Qual a sua opinião quando o governo e as forças armadas utilizam meios como o Twitch para fazerem propaganda?

Leia também: