Após fala de Trump contra games, Walmart ‘esconde’ jogos, mas mantém armas

Publicado em 9/8/2019
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Após os dois tiroteios nos EUA que resultaram na morte de 31 pessoas e feriram mais de 50 em unidades do Walmart no último fim de semana, a rede supermercados resolveu tomar uma atitude no mínimo polêmica. Desde segunda-feira, os funcionários estão sendo instruídos a remover todo e qualquer tipo de anúncio que possa ser associado a comportamento violento.

Pessoas chegam a ponto de encontro em busca de familiares e amigos após tiroteio no Walmart de El Paso, Texas. Imagem: Briana Sanchez – AP

O memorando recebido por colaboradores é sobretudo bem claro com relação a games de Xbox e PlayStation que apresentem essa característica. Anúncios precisam ser retirados e videogames demonstrando esses jogos devem ser desligados imediatamente. Eventos que tenham exibição ou disputa de jogos de tiro também estão terminantemente vetados.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Embora o comunicado peça para que se use “o melhor julgamento” na hora de decidir o que fica exposto, a orientação recomenda: Se você estiver inseguro, retire por precaução.

https://twitter.com/shepardcdr/status/1159235488898830338
Comunicado recebido por empregados do Walmart.

Além da ordem para os itens em questão, o comunicado se estende a outra área. Nada de televisores exibindo vídeos retratando violência, e mais: nem mesmo os comuns vídeos de temporada de caça na seção de artigos esportivos podem ser exibidos. 

Fiscais

O aviso em questão ainda informa aos comerciantes que representantes da Anderson Merchandisers, um provedor de serviços para o Walmart, serão enviados para verificar os consoles de exibição, bem como os jogos que estejam rodando nele. Contudo, a fiscalização só deve começar na semana que vem.

A fala de Trump

A decisão da Rede Walmart também é imediatamente associada como um reflexo das falas de Donald Trump sobre o trágico episódio. O presidente dos Estados Unidos culpou parcialmente os jogos violentos pelo massacre de El Paso e Ohio.

De acordo com a declaração oficial de Trump sobre o episódio, o governo dos EUA “deve parar ou reduzir substancialmente” o acesso a jogos “horríveis”. “Hoje certamente é muito fácil para jovens problemáticos se cercarem de uma cultura que celebra a violência. Precisamos parar ou reduzir substancialmente isso. E isso deve começar imediatamente.”, afirmou o presidente. Confira o momento da fala:

Games ocultos, armas expostas

Ao contrário do que se observa nas filiais do Walmart pelo Brasil, as unidades estadunidenses podem vender armas. E embora o episódio em questão tenha mobilizado os gestores sobre os games, nada foi informado sobre as armas comercializadas.

Modelo de ar comprimido Umarex Brodax, que custa $39.73 no Walmart. Imagem: Divulgação

Além de armas reais, a rede ainda comercializa unidades que disparam sob ar comprimido. Essas últimas podem ser compradas por preços que começam com menos de 40 dólares. E embora não possam de fato fazer um estrago letal, a presença delas por si só já é capaz de gerar terror, dada a fidelidade visual dos modelos.

Seja o dono do ano escolar como um herói: Episódio escandaloso que fez o porta-voz da rede pedir desculpas pela atitude do franqueado americano em 2018.

Procurada, a rede Walmart informa que não pretende parar de comercializar armas após a tragédia.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio