Publicidade
Caso de Polícia

Britânico é condenado à prisão perpétua após matar homem com produtos de pokémon

Gostou? Compartilhe!
britânico Andrew Hague
O condenado Andrew Hague. (Imagem: Polícia de South Yorkshire)
Publicidade

Nesta semana, um caso ocorrido em agosto de 2022 chegou a um veredito que terminou em pena de prisão perpétua para seu réu, acusado de matar uma pessoa de maneira brutal, e isso envolve distúrbios psicóticos, vizinhos e até brinquedos.

Trata-se de Andrew Hauge, de 31 anos, que matou a sangue frio o seu seu vizinho Simon Wilkinson, de 50 anos. As informações sobre o motivo que iniciou a briga ainda estão meio desencontradas pela imprensa que está cobrindo o caso, mas sabe-se que durante a discussão entre ambos, Simon teria chamado Andrew de “pedófilo”, e isso teria feito o agora condenado a partir para as vias de fato.

De acordo com a ITV, Andrew, que tinha problemas mentais e já era fichado por violência, teria partido para cima do vizinho com uma sacola contendo produtos temático de Pokémon (cartas e latas, de acordo com alguns portais) enquanto gritou “Venha aqui e lute como um homem!”.

Continua depois da Publicidade

Depois de golpear Wilkinson com a sacola várias vezes, o agressor teria se dado conta da gravidade dos ferimentos que causou, e decidiu matar de vez o vizinho como aquilo que seria, de acordo com ele, um “ato de misericórdia”, conforme declarou no julgamento.

Wilkinson saiu de cima de Andrew e, numa busca rápida pelo local, voltou com um pedaço de madeira e aplicou golpes brutais no vizinho, que morreu no local.

A juíza Sarah Wright, a frente do caso, descreveu o ataque como “feroz e brutal”, e condenou Hague à prisão perpétua com pena mínima de 17 anos, ante de tentar uma condicional. O réu deve ser readmitido no hospital seguro de Rampton, onde está sendo tratado desde sua prisão.

O juiz Wright disse que Hague tinha um histórico de contato com serviços de saúde mental. Ele não estava tomando sua medicação, mas estava se “automedicando” com maconha e álcool. O juiz disse que o caso era um “lembrete absoluto” dos perigos do uso de cannabis em tais circunstâncias. O juiz Wright disse que a morte de Wilkinson deixou seus amigos e familiares devastados.

A vítima

A vítima Simon Wilkinson. (Imagem: Polícia de South Yorkshire)

Amigos e familiares o descreveram como um Simon como uma pessoa “amigável e engraçada”. O falecido deixa uma filha que acabou de completar 18 anos. Família e amigos definiram o momento como algo de “uma dor imensa” e uma “perda incalculável”.

CONTEÚDO RELACIONADO