Publicidade
Review

Divina? Testamos o THOR OC DDR5, a nova memória RAM da LEXAR

Gostou? Compartilhe!
Thor OC DDR5
O filho de Odin em God of War Ragnarok e o filho da LEXAR ao fundo. (Imagem: Montagem Observatório de Games)
Publicidade

Embora a geração de memórias RAM do tipo DDR5 já não seja bem uma novidade para o mercado, não dá para negar que essas pecinhas responsáveis pela velocidade dos computadores ainda estão lentamente entrando nas máquinas brasileiras.

Contudo, felizmente isso está mudando, e parte disso se deve às soluções que chegam ao mercado a cada oportunidade. E dentre os grandes, está mais uma novidade da LEXAR, que mais uma vez, segue o prometido ao mercado BR, e anuncia seu novo pente de memória para nova geração, batizado com nome de divindade: a THOR OC DDR5.

Divindades atendidas

O modelo com nome do filho querido de Odin chega com a opção de ser adquirido em kit de dois pentes de 16GB cada. E uma vez de posse da dupla, eis abaixo o que pode ser cultuado:

Continua depois da Publicidade

Desempenho

Oferece até 6.000 MT/s, com temporização tão baixa quanto CL32 para uma experiência de última geração;

Dissipador de Calor

Trovões são quentes, mas as descargas elétricas desse THOR possuem um dissipador de calor durável de 1,6 mm de espessura em alumínio sólido para dissipação de calor superior. O que certamente é mais do quem bem-vindo para garantir uma boa convivência com os componentes vizinhos;

Trovão sim, relâmpago não

Neste conceito de design adotado, está dispensada a orgia de cores, tão presente em outros modelos (inclusive da própria LEXAR). Em contrapartida, isso certamente permitiu que a arquitetura pudesse ser consideravelmente mais enxuta que as plaquinhas luminosas, deixando Thor com apenas 40 mm de altura.

Em última análise sobre esse ponto, dá pra dizer que os detalhes em dourado deram um toque de elegância e vão por outro caminho de decoração, que pode ser bem recebido por PCs que optam por uma linha mais clean;

Estabilidade

Thor na versão do game God of War, para PS5. (Imagem: Reprodução)

Em alguns momentos da mitologia nórdica, Thor perdeu a linha e fez mal uso de sua energia. Isso está corrigido nessa parte do multiverso. A memória RAM da LEXAR possui código de correção de erros (ECC) integrado para maior estabilidade e confiabilidade e circuitos integrados de gerenciamento de energia (PMIC) integrados para aumentar a eficiência energética.

Conversa com as principais religiões

Esse Thor da LEXAR é laico, e está preparado para caminhar junto com overclocking Intel XMP 3.0 e AMD EXPO, além de ser compatível com placas-mãe DDR5 convencionais.

Testando

Em testes realizados pelo Observatório de Games, as memórias suportaram sem dificuldades jogos AAA, “rodando liso” em suas configurações mais pesadas possíveis. Contudo, foi na edição de projetos gráficos que o produto mais encheu os olhos na redação.

Isso porque conteúdos filmados em 4K puderam ser manipulados em softwares como Vegas e Premiere sem absolutamente nenhum tranco no decorrer de cada play dado, o que certamente é o sonho de todo editor de vídeo.

Conclusão

Ainda falta um tempo para que o mercado absorva de vez a geração DDR5, mas os que puderem já fazer uso disso notarão uma aguda diferença na sua experiência de jogo e edição dentro dos softwares do audiovisual.

Diante disso, a DDR5 da LEXAR é, de fato, uma das melhores apostas que se pode fazer dentro dessa parte do upgrade que todo gamer hardcore ou profissional de audiovisual merece.

Definição Observatório de Games

“Se há uma prece atendida por este Thor, essa prece é o fim da fadiga causada por travas em jogos e edições de vídeo. Quem não quer um Ragnarok na sua máquina precisa investir nessa benção.”

Marx Walker – Editor-Chefe do Observatório de Games

CONTEÚDO RELACIONADO