Rensga
Imagem: Rensga Esport

Uma evolução notória de quem iniciou o segundo split do Circuito Desafiante 2020 como azarão marcou a trajetória da Rensga Esports. O time goiano foi eliminado nesta terça-feira (11) pela Team One por 3 a 1 na melhor de cinco mas mostrou mais uma vez equilíbrio em quatro partidas bastante disputadas. “Tivemos os três mapas sob controle mas, pecamos muito na hora de finalizar o jogo”, analisa o coach Pedro “Gafone”.

Na série, a Team One abriu vantagem vencendo as duas primeiras partidas superando a forte resistência da Rensga que dominava os mapas. No terceiro confronto, os cowboys foram implacáveis ao fazer o barão e partir para cima da base inimiga e conquistar o nexus. No quarto confronto, a ansiedade e afobação dos brabos – mesmo aspecto que bloqueou o time nas primeiras rodadas do Circuitão – permitiu que ao adversário fechar a série com três vitórias.

Esta foi a última edição do Circuito Desafiante. A competição deixará de existir a partir de 2021 com o início do sistema de franquias. Portanto, não vale acesso ao Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL). “Foi um Circuitão histórico; o último de todos pré-franquia e a nossa vontade era de vencer, justamente, para ficar marcado na história”, encerrou Gafone.

Sobre a Rensga Esports

A organização de esportes eletrônicos surgiu no cenário nacional em 2019 após adquirir uma vaga no Circuito Desafiante de League of Legends, a 2ª divisão brasileira, abaixo do Campeonato Brasileiro de LoL (CBLoL). Mesmo não se classificando, o time – que chamou a atenção pelo jeito irreverente de se comunicar, enaltecendo sua identidade 100% goiana – marcou o início da regionalização dos esports. Em 2020, estruturou sua base com mais dois times – Rensga Academy e Rensga GO – além de reforçar sua comissão técnica e inaugurar um Centro de Treinamento dentro da Orbi Gaming, um complexo com mais de 800 metros quadrados. Criou ainda uma equipe de Counter Strike: GO para ampliar a atuação no cenário de games e esportes eletrônicos.

Leia também: