“Tudo isso é uma merda”, dispara diretor de Ori sobre Cyberpunk 2077 e No Man’s Sky

Publicado em 4/2/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Cyberpunk 2077 é um dos maiores lançamentos da história do mercado de games, isso é fato! porém, é válido ressaltar o artigo que foi publicado pela Bloomberg, no qual expôs algumas informações sobre o desenvolvimento do game e o motivo por trás dos problemas. No fórum do ResetEra, Thomas Mahler, diretor do estúdio no qual desenvolveu Ori, relatou sua visão acerca de Cyberpunk 2077 e No Man’s Sky.

De acordo com ele, ambas empresas desenvolvedoras trabalharam em torno do marketing, entregando falsas esperanças para o público, somado a um material no qual não atendia as expectativas. Deixando todo o hype e lado positivo do game em suas redes sociais, o mesmo chega a apontar que “tudo isso é uma merda.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Utilizando como exemplo Peter Molyneux, game designer que prometia mais do que entregava, Thomas iniciou uma paralelo com Sean Murray, criador de No Man’s Sky. Segundo ele, toda a fórmula apresentada por Molyneux “foi passada” para Murray, de como fazer um jogo vender.

Tudo começou com Molyneux. Ele era o mestre de ‘Em vez de dizer qual é o meu produto, deixe-me enlouquecer com o que eu acho que poderia ser e deixá-los todos animados!”, inicia o texto. “Então veio Sean Murray, que aparentemente aprendera diretamente com o manual de Peter Molyneux. Aparentemente, esse cara simplesmente amou os holofotes. Mesmo dias antes do lançamento de No Man’s Sky, ele empolgou o Multiplayer que nem existia e ficou muito feliz em deixar as pessoas pensarem que No Man’s Sky era ‘Minecraft in Space’, onde você poderia literalmente fazer tudo (você sendo capaz de fazer tudo é geralmente um tema comum por trás dos vendedores de óleo de cobra de jogo, porque ei, isso atrai todo mundo!). Obviamente, houve uma reação massiva quando No Man’s Sky finalmente foi lançado e o produto não se parecia em nada com o que Murray alardeava que fosse.

De modo “sarcástico”, porém sem perder o tom de seriedade, o diretor comentou sobre todo o projeto envolvendo Cyberpunk 2077, onde novamente, muito se foi prometido por parte da desenvolvedora.

“E então veio o Cyberpunk. Feito pelos caras que fizeram Witcher 3, então essa merda tinha que ser boa. Aqui está o nosso universo Cyberpunk e – acredite em nós – você pode fazer tudo! Aqui, todo o departamento de RP do CDPR pegou todas as dicas do que funcionou para Molyneux e Murray e simplesmente enlouqueceu com isso. Os jogadores acreditaram que se tratava de “Ficção científica GTA em primeira pessoa”. O que não é amar? Cada vídeo lançado pelo CDPR foi cuidadosamente elaborado para criar uma imagem na mente dos jogadores que fosse insanamente atraente. Eles pararam um pouco antes de dizer que essa coisa curaria o câncer. O produto era uma fração do que o desenvolvedor alardeava e, além disso, mal rodava em consoles em que deveria ‘funcionar surpreendentemente bem!’”

Antes de finalizar o texto, Thomas salienta um comentário a todos que estão no mercado como desenvolvedores, inclusive, pedindo para que não seja prometido materiais, no qual sequer pode ser entregue. Desse modo, não enganando mais ninguém.

 “Não importa se o óleo de cobra realmente tem um gosto bom. Não me venda recursos que não existem. Não pinte um quadro que você não será capaz de apresentar. Só não minta pra mim, porra. Você está f*dendo com os jogadores, você está f*dendo com os jornalistas (isso deveria saber melhor, então que vergonha!) E você está f*dendo com outros desenvolvedores”, aponta o mesmo. “eu precisava tirar do meu ombro e eu acho que é um erro que devemos consertar para que isso não aconteça mais”, finaliza.

Desde seu lançamento, a CD Projekt vem se empenhando em patchs de atualização para Cyberpunk 2077. Recentemente, foi lançado o hotfix 1.1, no qual conserta bugs de missões principais.

Leia também:

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio