Assassins Creed: Valhalla sofre acusação de preconceito e Ubisoft reage

Publicado em 15/11/2020
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nas últimas semanas Assassin’s Creed: Valhalla veio colecionando diversas críticas positivas acerca de sua narrativa, e expansão do universo da franquia. Contudo uma nova reclamação sobre o jogo surgiu, porém essa envolve discriminação de minorias.

Por meio do twitter, Courtney Craven, fundadora do site voltado para deficientes ICanPlayThis, compartilhou uma nota falando sobre o modo de fala personagem Eorforwine, ao afirmar que tem uma queimadura de infância. No diálogo ele diz: “Eorforwine tem medo de que alguém veja seu rosto desfigurado”.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em seu tweet a ativista afirmou que “é absolutamente inaceitável que se fale de diferenças faciais desta forma”. Horas após a publicação a Ubisoft se pronunciou, afirmando que iria alterar a fala personagem no próximo pacote de atualizações, e em seguida pediu desculpas pelo ocorrido.

“Muito obrigado por apontar isso – pedimos desculpas por, sem querer, reforçar a capacidade por meio dessa linguagem. Removeremos este idioma em uma atualização futura.”

Vindo da Noruega por guerras e recursos cada vez mais escassos, Eivor é um invasor nórdico Viking que reúne seu clã para navegar para a Inglaterra em busca de uma nova casa. Enfrentando forte resistência inglesa, Eivor é forçado a enfrentar não apenas inimigos em batalha, mas também conflitos clã. Na luta para salvar seu grupo e alcançar a glória, Eivor pode perder tudo.

Assassin’s Creed Valhalla tem compatibilidade com PC, PlayStation 4 e 5, Xbox One e Series X.

Leia também:

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio