Publicidade
Sério?

Baldur’s Gate remove nome de brasileiros nos créditos do jogo e gera crise ética

Os créditos para a localização brasileira do jogo incluem os nomes dos executivos e leads da empresa de localização, mas não seus tradutores.
Gostou? Compartilhe!
Baldur's Gate 3
(Imagem: Divulgação)
Publicidade

A Larian Studios disse que entrou em contato com uma empresa de localização que não forneceu créditos completos para a tradução brasileira de Baldur’s Gate 3, e prometeu que todos os créditos faltantes serão adicionados em um hotfix futuro. A questão dos créditos faltantes veio à tona pela primeira vez na semana passada no Twitter.

“Parabéns aos heróis que traduziram @larianstudios’ Baldur’s Gate 3!”, tuitou @MittoVac. “Desculpe, você não conseguiu o reconhecimento adequado, mas ctrl+C/ctrl+V ainda é muito complexo para @Altagram_Group.” Alguns créditos de localização do Altagram Group chegaram ao jogo, mas como @katrinaltrnsl8r observou em um tweet separado, eles incluíram apenas os nomes dos executivos e líderes da empresa, não os localizadores que trabalharam para eles.

Ela também teorizou – garantiu, na verdade – que o Grupo Altagram, e não a Larian, era responsável pelos créditos aparentemente ausentes. “A Larian Studios provavelmente pediu seus créditos, Altagram lhes deu seus ‘créditos completos’, omitindo intencionalmente tradutores, e a Larian confiou neles sem verificar”, tuitou. “Afinal, quem não dá crédito aos seus escritores?”

Em um comunicado enviado ao Eurogamer, o diretor de publicação da Larian, Michael Douse, disse que foi isso que de fato aconteceu. “Isso tudo era Altagram Group”, disse Douse ao site. “Entramos em contato e os obrigamos a consertar isso. Os créditos completos virão no Hotfix 3. Assim que tomamos conhecimento, tomamos medidas com a Altagram para remediar isso imediatamente.”

A importância do crédito adequado nos videogames assumiu um significado maior nos últimos anos, em parte porque ficou claro que muitas vezes isso não acontece. Só em 2023, jogos como The Callisto Protocol, Marvel Snap, Persona 3 e 4, Cyberpunk 2077 e os jogos Yakuza no GOG foram criticados por excluir desenvolvedores que trabalharam neles.

Em um setor que regularmente demite um grande número de funcionários quando os projetos são concluídos, ser capaz de mostrar seu trabalho passado para possíveis empregadores é vital. Isso é especialmente verdadeiro para um jogo como Baldur’s Gate 3, que tem um roteiro absolutamente enorme: Fernando Moreiras, tradutor que trabalhou na edição em espanhol do jogo (que foi devidamente creditada) disse que levou quase quatro anos para concluir o trabalho.

Infelizmente, esta não parece ser a primeira vez que o Altagram Group faz isso: a mesma coisa teria acontecido com a tradução alemã de Diablo 4.

Em uma mensagem postada no Twitter poucos dias após a denúncia inicial, o Grupo Altagram pediu desculpas pela “experiência infeliz e frustrante” e disse que os créditos serão atualizados para incluir os nomes de todos que trabalharam na localização brasileira do Baldur’s Gate 3 “em um próximo patch”.

Também disse que lançará um “comitê interno de crédito” para garantir que todos que trabalham em jogos no futuro recebam o crédito adequado, e prometeu aderir às diretrizes da International Game Developers Association sobre crédito de jogos no futuro.

Via: X/PC Gamer/Eurogamer

CONTEÚDO RELACIONADO