Depois de criticar Activision Blizzard, Playstation é processada por discriminação de gênero

Depois da Activision que está sendo processada por toxidade, entre outros, a Sony agora se vê acusada de discriminação de gênero por uma ex-funcionária, que busca uma ação coletiva.

Publicado em 24/11/2021 11:37
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Desde que o processo inicial foi aberto no verão, a reputação da Activision só ficou mais e mais tóxica. Após as alegações de assédio, abuso e discriminação, o público em geral e os próprios funcionários da empresa estão pedindo a remoção do CEO Bobby Kotick, e até mesmo a Nintendo, Microsoft e Sony criticaram a Activision e sua falta de ação. No entanto, agora a Sony se viu sendo acusada de mais ou menos a mesma coisa pela qual a Activision está em apuros.

De acordo com o site Axios, uma ex-analista de segurança de TI, Emma Majo, abriu um processo contra a Sony na Califórnia na segunda-feira (22). A ação alega que a empresa não é apenas culpada de discriminação de gênero, especificamente contra funcionárias, mas também por demitir indevidamente Majo após ela ter se manifestado sobre a referida discriminação.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Além disso, o processo diz que a Sony violou a Lei de Igualdade Salarial dos Estados Unidos, discriminando todas as funcionárias em remuneração e promoção. Essencialmente, não paga as mulheres tão bem quanto os homens e os ignora em favor de promover seus colegas de trabalho. Majo até afirma ter sido ignorada por um gerente que só respondia a homens, era regularmente preterida em promoções (o que ela diz ser uma ocorrência comum com outras funcionárias) e foi demitida por apresentar uma reclamação de preconceito de gênero à empresa.

Ela observa no processo que o motivo dado pela Sony para sua rescisão foi o fechamento de um departamento interno, mas o contra-argumento de Majo é que ela nunca trabalhou nesse departamento para começar. Os representantes da Sony ainda não deram uma declaração oficial sobre as acusações. Majo também está buscando a aprovação do tribunal para expandir o processo em uma ação coletiva em nome de mulheres que trabalharam para a empresa PlayStation nos últimos anos.

Infelizmente, essa não é uma ocorrência rara na indústria. Apenas no ano passado, a Ubisoft foi atingida por acusações muito semelhantes. Embora vários funcionários de alto escalão acusados ​​de assédio e abuso tenham deixado a empresa como parte da precipitação, muitos funcionários acreditam que a Ubisoft fez muito pouco desde então para resolver as queixas. No início deste mês, a organização liderada por funcionários ABetterUbisoft afirmou que a Ubisoft não conseguiu atender a nenhuma de suas demandas e publicou uma petição que qualquer um poderia assinar, uma que a Ubisoft parece ainda não ter respondido, pelo menos publicamente.

Em 2019, a Riot Games também foi acusada de discriminação de gênero, com o CEO Nicolo Laurent, em particular, sendo supostamente responsável por assediar funcionárias e fazer investidas sexuais indesejadas.

Via: Axios/Game Rant
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Produtos recomendados

HD EXTERNO

Comprar

CONTROLES

Comprar

CONSOLES

Comprar

ACESSÓRIOS

Comprar

CADEIRA GAMER

Comprar

HEADSET

Comprar