Conheça 10 jogos do NES que você não sabia que foram CENSURADOS

A Nintendo teve que censurar vários de seus jogos por motivos religiosos e outros mais bizarros!

Publicado em 27/5/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A censura ou o nome menos pesado, classificação indicativa, não é algo tão novo como muitos imaginam. Ela já é antiga e começou bem antes do ESRB que analisa, decide e coloca as classificações etárias indicativas para jogos eletrônicos comercializados na América do Norte. Além de classificação de jogos, a organização também impõe regras para publicidade e de privacidade online no mercado dos games eletrônicos.

Então, se você não consegue deixar de se perguntar como alguns dos melhores jogos da sua infância eram secretamente um pouco mais “pesados” do que você esperava, junte-se a nós para uma retrospectiva de 10 jogos de NES que você não sabia que eram censurados. E aproveite para deixar abaixo nos comentários, quais destes títulos você mais jogou!

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

10. Ducktales

Como assim um título da Disney era censurado? Pois bem! Os criminosos, neste caso, foram os caixões encontrados no nível da Transilvânia da aventura. Na versão original do jogo, os caixões eram decorados com uma cruz. Na versão dos EUA, a cruz é substituída pela frase “R.I.P.” É uma mudança consistente com as políticas da Nintendo na época em relação a imagens religiosas nos jogos dos EUA.

9. Mega Man

Como deu para perceber, esta lista está com jogos que realmente nunca iria imaginar que sofreram algum tipo de censura. A franquia Mega Man foi realmente censurada um pouco ao longo dos anos, mas você não está sozinho se achar estranho que o jogo Mega Man original tenha que sofrer o mesmo destino, afinal, é um jogo com pouca história e aparentemente sem elementos ofensivos. O que há para censurar? Acontece que o famoso miniboss Mega Man Rock Monster era o problema.

Na versão original do jogo, Rock Monster se chamava Yellow Devil, o que na verdade faz muito mais sentido em termos de design do personagem. No entanto, foi finalmente determinado que a palavra “Diabo” pode ser muito religiosa para o público ocidental.

8. Ice Climber

Muitos jogos de NES foram censurados devido a sexo, drogas e todas as outras coisas com que os pais estavam preocupados, mas o motivo da censura de Ice Climber é tão único quanto bizarro. A versão original do game incluía focas inimigas que você poderia acertar com um martelo. Alguém na Nintendo of America viu isso e pensou: “Uau, isso se parece muito anti-natural” e provavelmente decidiu, com razão, troca-los pelos Yetis muito mais intimidantes.

7. 1943: The Battle of Midway

Em uma instância comparativamente rara de um jogo NES que foi censurado no Japão, mas não na América (ou pelo menos alterado devido a diferenças regionais), 1943: The Battle of Midway foi alterado para 1943: The Battle of Valhalla no Japão. No jogo, o título costuma ser encurtado para 1943 (em ambas as regiões).

A razão para essa mudança é provavelmente bastante óbvia para os fãs de história e qualquer pessoa familiarizada com a premissa de 1943. Afinal, o jogo mostra você como um piloto americano encarregado de abater aeronaves japonesas em seu caminho para afundar o navio de guerra Yamato. Essa história era obviamente consideravelmente mais estranha no Japão.

6. The Legend of Zelda

Sim, Zelda também foi e por motivos religiosos, novamente. Na versão do disco Famicom de The Legend of Zelda, você poderia usar um item simplesmente conhecido como “Bíblia“. O nome deste item foi posteriormente alterado para Livro de Magia a fim de remover uma referência religiosa bastante óbvia.

5. Castlevania 3: Dracula’s Curse

Os primeiros jogos de Castlevania eram geralmente censurados por imagens religiosas, mas Castlevania 3 se destaca tanto pelo grande número de coisas que foram censuradas quanto pelas que estranhamente não foram. Embora a versão NES de Castlevania 3 vise fortemente as instâncias de nudez (o que inclui colocar roupas em estátuas nuas e alterar a forma feminina da Medusa para algo mais indefinido), na verdade apresenta instâncias raramente vistas de imagens religiosas em um jogo NES. Você até encontra uma cruz gigante em um ponto, embora o efeito “brilhante” apresentado na versão original tenha sido removido nas versões internacionais.

4. Final Fantasy

Muitas das maneiras pelas quais Final Fantasy foi censurado podem ser atribuídas aos suspeitos de conteúdo usuais. Por exemplo, “igrejas” foram renomeadas para “clínicas” (e as cruzes fora delas foram removidas), e as Medusas que estavam em topless na versão japonesa do jogo, foram redesenhadas. Depois, há a questão do feitiço “Matar” que também é conhecido como “Morte” de acordo com algumas traduções. Enquanto a Nintendo obviamente decidiu não usar a palavra “matar” para a versão ocidental do jogo, o fato de que eles mudaram o nome do feitiço para “Rub” realmente confunde a mente. Suponho que seja a abreviação de “apagar”, mas mesmo essa é uma escolha estranha de palavras.

3. Bionic Commando

Embora algumas das formas menores em que Bionic Commando foi censurado sejam totalmente hilárias (incluindo mudar a linha “Dê o fora daqui, seu nerd!” Para “Não se apresse em avançar com cautela.”), aqui a censura gira em torno de Adolf Hitler. Hitler aparece com tanta frequência na versão japonesa de Bionic Commando que até tem um lugar de destaque na capa original do jogo.

Na versão americana, entretanto, Hitler é transformado em um ditador genérico chamado Master-D. Essa versão do jogo também substitui todas as suásticas por um logotipo de águia e se refere aos nazistas como “Os Badds”. Infelizmente, isso significa que os jogadores dos EUA também perderam o final original em que a cabeça de Hitler explode ao estilo dos scanners.

2. Maniac Mansion

É impressionante que Maniac Mansion tenha sido portado para o NES devido à complexidade e ao conteúdo do jogo, mas não é exagero sugerir que este é o título mais censurado da história do NES. Na verdade, poderíamos preencher um artigo com todas as instâncias de censura nesta versão. Por falar nisso, poderíamos passar um artigo inteiro falando sobre o tesão da Edna e as muitas maneiras que ela mudou na versão do jogo para NES.

Se você quiser realmente avaliar o quão fortemente este jogo foi censurado, no entanto, precisamos falar sobre “S.C.U.M.M.” Essa sigla significa “Script Creation Utility for Maniac Mansion”, que foi essencialmente o motor usado para projetar o jogo. No entanto, os desenvolvedores dos ports do NES não foram autorizados a usar S.C.U.M.M nos créditos, pois era muito parecido com a palavra “escória” (em inglês), que a Nintendo considerou ofensiva.

1. Contra

Contra merece estar no topo desta lista não apenas por causa da extensão de sua censura, mas pelo fato de ser um dos poucos jogos NES que foi especificamente censurado nas regiões PAL. Para quem não conhece, a região PAL é um território de publicação de jogos eletrônicos que abrange os países da Austrália, Nova Zelândia e Reino Unido, às vezes variando entre países europeus. A maioria dos jogos definidos como parte da região não irão funcionar em consoles de regiões NTSC-U/C ou NTSC-J por causa da trava regional.

Na verdade, nas regiões PAL, Contra nem era chamado de Contra. O nome do jogo foi alterado para Probotector e todos os personagens humanos foram substituídos por robôs. Isso inclui personagens jogáveis de Contra (Bill e Lance) que foram transformados em robôs e renomeados como RD008 e RC011. Por que mudanças tão extensas foram feitas especificamente para aquela região?

Bem, eles parecem estar amplamente baseados nas leis de conteúdo alemãs da época que proibiam atirar em pessoas em jogos, mas também podem estar relacionados a preocupações com as associações militares americanas de Contra.

Via: Wiki NES/Denofgeek

Siga o Observatório de Games nas redes sociais

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio