Tetra foto
Seleção tetracampeã do mundo em 1994. Imagem: Créditos: Wilson de Carvalho.

Na tarde deste domingo (26) a Rede Globo reexibiu uma das finais mais emocionantes da história das copas do mundo, transmitindo Brasil x Itália, direto dos Estados Unidos. Após uma partida que foi definida nos pênaltis, o Brasil ficaria marcado como o primeiro tetracampeão mundial de futebol, e alguns jogadores da Copa de 1994 também ficariam eternizados na memória dos torcedores.

Contudo, essas lembranças ganharam na época um reforço e tanto para os jovens torcedores que também jogavam videogame, mais precisamente Super Nintendo. Isso porque no ano seguinte a Copa estreava um dos games mais icônicos de todos os tempos: International Super Star Soccer, desenvolvido pelos japoneses da Konami.

O ‘dibre’ da Konami

Contando com as principais seleções do mundo, o simulador de futebol era o que de mais moderno havia em comparação com a realidade. Contudo, faltava um detalhe: o nome dos atletas da época em cada seleção, que foram para o game rebatizados com nomes bem diferentes dos titulares da copa do ano passado.

Isso ocorreu provavelmente por conta de problemas relacionados aos direitos autorais de cada atleta e sobretudo com a FIFA. Contudo, esses obstáculos não impediram os japoneses da Konami de aplicarem um ‘dibre’ épico, colocando nomes diferentes nos jogadores em International Super Star Soccer, mas deixando muitos deles com visual bem semelhante aos jogadores da copa.

International Superstar Soccer: Penalty Kicks: Italy x Holland ...
Todo mundo sabe que esse rabinho de Cavalo era do Roberto Baggio na vida real. Imagem: reprodução

Os gamers da época até estranharam, mas diante de gráficos e jogabilidade incríveis, acabaram relevando os nomes estranhos e jogo seguiu, literalmente. Afinal, o que fazia um certo Allejo era algo quase paranormal. Relembre:

Anos depois, a verdade

E após toda uma infância (e boa parte depois disso também) chamando Bebeto de Allejo, Baggio de Galfano, Valderrama de Murillo dentre outros ícones dessa época, a Konami finalmente confessou a jogada.

Em fevereiro deste ano, surprendentemente, o perfil nacional de PES (nome para o qual evoluiu a franquia de ISS), assumiu o que nunca foi surpresa pra ninguém.
O Allejo era de fato o Bebeto, o Gomez era o Romário, Premoli era Maldini, além de outros craques que hoje são as lendas do jogo e tiveram suas atribuições formalizadas.

Sobre o mito

Devido a sua habilidade, velocidade e posicionamento, Allejo é certamente o mais querido dos gamers. Inspirado na figura de Bebeto, o 7 do Brasil possui até camisetas vendidas nas feiras de games e afins.

Camisa de Allejo, devidamente pixelada.

O Observatório de Games entrou em contato com o ex-jogador para saber o que ele achava dessa honra, e a resposta veio através de seu Twitter:

A brincadeira em torno de Bebeto e Allejo rende até hoje, fazendo com que a Konami promovesse inclusive um ‘encontro’ entre os dois. Relembre isso aqui.

Confira abaixo a cômica descrição do mítico Brasil de International Superstar Soccer, feita pela Deciclopédia:

1 Da Silva – Um dos maiores goleiros do universo. Especula-se que ele deu aulas à Oliver Kahn.

6 Ferreira – Lateral esquerdo mais potente de todos os tempos.

4 Vincento – Zagueiro duro, não deixa nenhuma bola passar.

3 Paco – Zagueiro mais aberto, porém mais técnico.

2 Cícero – Lateral direito, muito avançado.

5 Roca – Volante, joga duro demais, normalmente é expulso rápido de jogo, mas é muito raçudo!

8 Santos – Volante mais ágil, dá muitas assistências durante o jogo.

9 Pardilla – Meia natural da Itália, veio pro Brasil durante a migração das famílias de “O Rei do Gado”. Muito objetivo, faz a diferença no meio de campo.

10 Beranco – O criador de jogadas do time, dizem que ele com seus passes ajudou metade de gols que Allejo havia feito.

11 Gomez -Ponteiro direito, um dos maiores jogadores do mundo. Dizem que na verdade esse é o Romário disfarçado, mas há controvérsias.

7 Allejo – Ponteiro esquerdo. Ídolo eterno da torcida brasileira de todos os tempos. Irmão gêmeo de Bebeto, ensinou seu irmão a jogar bola, e se tornou, obviamente, bem melhor que ele.