Frogwares acusa Nacon de pirataria na Steam

the sinking city
Publicidade

A desenvolvedora de jogos Frogwares se envolveu em uma polêmica recente. Ela está acusando a editora Nacon de piratear seu mais novo jogo, The Sinking City.

“A Nacon crackou, hackeou, mudou o código e conteúdos do nosso jogo, e fez um upload ilegal de The Sinking City para o Steam a 26 de Fevereiro de 2021 para comercializá-lo debaixo do seu nome sem o nosso conhecimento”, disse Frogwares, em seu blog.

O estúdio explicou no texto que desde o lançamento do jogo, no dia 27 de junho de 2019, eles tiveram problemas com a Nacon. Embora a Steam seja uma das plataformas listadas no contrato entre as duas partes, “as ações ilegais da Nacon forçaram a Frogwares a defender a sua propriedade e a reagir perante as leis francesas por falta de pagamentos, tentativas de roubar a nossa propriedade, entre outras coisas”.

Continua depois da publicidade

“Desde então a Nacon tentou forçar a Frogwares a entregar uma nova versão master do jogo através dos seus advogados. A Justiça Francesa recusou as exigências da Nacon duas vezes, a primeira em Julho de 2020 e depois em Outubro de 2020 durante um recurso. A decisão final de que a Frogwares é obrigada a entregar a versão Steam que a Nacon está exigindo, será determinada em tribunal nos próximos meses ou anos.”

The Sinking City no Steam

No dia 26 de fevereiro, para a surpresa do estúdio, The Sinking City ficou disponível para venda na Steam. A versão não foi submetida pela Frogwares à Nacon, aliás, segundo evidências, a Nacon comprou a versão à venda na Gamesplanet e modificou o jogo, alterando logotipo e outros detalhes, para vender na Steam com seu nome.

“A Nacon, debaixo da gestão do seu presidente Alain Falc, pediu a alguns dos seus funcionários, que até identificamos, para crackar, hackear e piratear o nosso jogo, mudar os seus conteúdos para comercializá-lo com o seu nome, e é assim que o fizeram”, disse o site da Nacon.

Agora, a Frogwares está pedindo que os jogadores não comprem a versão Steam do jogo. Até o momento, a página não está disponível na loja. Agora, o estúdio vai recorrer à Justiça Francesa, comentando “temos que medir o que aconteceu e seguir o melhor caminho legal para prevenir que algo como isto aconteça novamente”.

“O dono da Nacon, Alain Falc, terá que enfrentar as consequências legais da decisão de piratear e roubar a propriedade da Frogwares”, disseram. “Incidentalmente, as leis de propriedade intelectual da França são sérias e podem levar até 7 anos de prisão e multas de 750,000 euros mais danos.”

Publicidade
© 2021 Observatório de Games | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade