Nintendo vai entrar no modo hard contra quem pirateia seus jogos.

A Nintendo está, cada vez mais, entrando no modo hard para dar um game over nos sites que veiculam suas ROMs ilegalmente.

Alguns meses depois de entrar com uma ação judicial contra Jacob Mathias, proprietário do LoveROMS e LoveRETRO, a empresa japonesa obteve a resposta do seu apelo.  Causa ganha. E o veredicto foi um golpe forte no réu.

A empresa havia pedido US$150.000 (R$570.000 na cotação atual) POR JOGO pirateado e mais US$2.000.000 por cada marca lesada que tivesse vínculo com o jogo (estúdio distribuidoras, criadores, etc). Ou seja, como o site hospedava centenas de ROMs, Jacob Mathias e sua esposa ficaram realmente encrencados.

Entretanto, o casal chegou a um acordo diante do valor anteriormente apontado, ainda que este tenha saído dolorido também.
De acordo com o site TorrentFreak, os réus vão pagar US$12.000.000 de dólares à empresa, cerca de R$45,5 milhões (ou 303 mil cartuchos de Mario World, se você quiser fazer uma conta louca).

Veja também: Enquanto Nintendo cobra, Sega distribui clássicos de graça

Com o resultado da ação, a Nintendo espera que se caia consideravelmente a quantidade de sites que praticam ação semelhante. Contudo, com o lançamento de consoles originais que também usam ROMs (cópias virtuais de cartuchos de videogames), tudo indica que o controle desse tipo de arquivo ainda vai demorar anos para se estabilizar.