Fox News sugere que tiroteios em massa ‘ficaram muito piores’ por causa de jogos violentos

Segundo a emissora, os tiroteios em massa "ficaram muito piores" à medida que os jogos se tornaram mais realistas e violentos.

Publicado em 17/05/2022 11:54
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Vários tiroteios em massa ocorreram nos EUA no fim de semana passado. Um desses tiroteios aconteceu em um supermercado em Buffalo, Nova York, onde um homem branco de 18 anos atirou e matou 10 pessoas enquanto feriu outras três. O suposto manifesto do atirador indica que o ataque teve motivação racial – uma teoria que é apoiada pelo fato de que 11 das 13 vítimas eram negras.

Assumindo que o manifesto é legítimo, o atirador é um autoproclamado supremacista branco e fascista, inspirado pela retórica de extrema direita e teorias da conspiração como a teoria da “Grande Substituição“. O tiroteio em Buffalo está sendo amplamente coberto pela mídia americana, incluindo a Fox News.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No episódio de domingo da Fox Report, o apresentador Jon Scott conversou com o ex-agente da ATF Bernard Zapor sobre os tiroteios que ocorreram no fim de semana passado. Em um clipe viral do segmento, Scott trouxe à tona jogos de videogames violentos. “Parece que essas coisas ficaram muito piores desde que os videogames se tornaram tão realistas e violentos”, disse Scott. O apresentador então perguntou a Zapor se os videogames dessensibilizavam as pessoas para “os resultados reais de puxar um gatilho”.

Zapor não culpou diretamente os videogames violentos por tiroteios em massa em sua resposta, em vez disso, apontou para a comunicação digital e um declínio percebido na interação face a face em geral, dizendo que “estamos nos comunicando através de um meio que nunca foi realmente planejado como um ser humano.”

Desde o massacre de Columbine em 1999, os videogames têm sido responsabilizados por causar tiroteios em massa e outros atos violentos. Numerosos estudos foram realizados ao longo dos anos que não encontraram nenhuma conexão entre videogames e violência. Existem alguns estudos que sugerem que os videogames podem aumentar a agressividade em certos indivíduos, mas é um grande salto sugerir que os levarão a cometer um tiroteio em massa.

Lembrando que o cinema, rádio, livros e até mesmo os quadrinhos já foram responsabilizados por causa de atos de violência. Claro, vale ressaltar que videogames violentos estão prontamente disponíveis em todo o mundo, mas os EUA parecem ser o único país que realmente luta com tiroteios em massa.

Parece razoável concluir que pode haver outros fatores em jogo aqui além dos videogames. Independentemente disso, esta não é a primeira vez que o dedo é apontado para videogames violentos após um tiroteio em massa e, infelizmente, é improvável que seja a última.

Tiroteios em massa acontecem regularmente nos EUA, e não é incomum alguém culpar os videogames sempre que isso acontece. Às vezes é um canal de notícias como foi neste caso, mas outras vezes é um político, como quando o ex-presidente Donald Trump culpou os videogames por tiroteios em massa em 2019. Políticos de ambos os lados do corredor tentaram culpar os videogames por tiroteios em massa ao longo dos anos, e é uma tendência que parece improvável de parar tão cedo.

Outro fator interessante é destacar que apenas homens, brancos, que estão envolvidos nesses tiroteios em massa. Será que o público feminino, LGBTQI+ entre outros não jogam estes títulos?

Via: Game Rant/Fox News/Twitter
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Produtos recomendados

HD EXTERNO

Comprar

CONTROLES

Comprar

CONSOLES

Comprar

ACESSÓRIOS

Comprar

CADEIRA GAMER

Comprar

HEADSET

Comprar