NASA vai testar Asteroids, mas ideia não parece muito boa

NASA irá enviar nave espacial para se chocar em um asteróide para testar o redirecionamento para salvar a Terra. Será que fuciona?

Publicado em 15/09/2021 15:27
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Os jogadores mais antigos vão se lembrar muito bem do jogo Asteroids, lançado em 1979 para arcade, Atari 2600 entre outros ao longo dos anos. O game era bem simples, onde o único objetivo do título era simplesmente destruir asteroides sem se deixar ser atingido por seus fragmentos. Asteroids acabou por se tornar um sucesso entre os jogadores da época e ainda hoje é um verdadeiro símbolo da cultura pop.

Isso é tão real que a série Todo mundo odeia o Chris, o episódio Everyone Hates The Lottery, Chris passa metade da história defendendo seu título de O Melhor Jogador de Asteroids da Vizinhança. Outra série que também homenageou o título, foi Stargate Atlantis, spin-off de Stargate SG-1. Em Adrift, quando McKay pilota uma nave para defender a cidade contra asteróides, ele comenta que é similar ao jogo de arcade. Ele também comenta que ele era muito bom no jogo e até conseguiu 50 000 pontos uma vez. E mais recentemente, o longa Jogador nº 1 usou Asteroids para que o personagem principal desvendasse um dos enigmas.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

E agora a NASA resolveu fazer algo bem ao estilo Asteroids, onde irá testar uma nave que deverá, ao contrário do jogo, se chocar com um asteróide real para ver como ele se desviaria da Terra em caso de colisão. A missão DART será feita em novembro e como tantos filmes já mostraram, os especialistas não gostaram nada e afirmaram que essa não é uma boa ideia.

Como irá funcionar?

A NASA irá colidir uma espaçonave em um asteróide na tentativa de alterar sua trajetória e testar a viabilidade de missões de redirecionamento de asteróides que podem salvar a Terra no futuro. A missão é conhecida como DART e será lançada em novembro próximo. O DART faz parte do teste de tecnologia de defesa planetária da NASA projetado para proteger a Terra de ser atingida por um asteróide. As propostas para sistemas de defesa de asteróides incluem defesa contra mísseis, propulsores anexados a asteróides e detonações nucleares no local, enquanto o DART é uma missão de impacto cinético.

O alvo da missão da NASA é o asteróide Didymos, um sistema binário que consiste em um asteróide e uma pequena lua. O asteróide não apresenta qualquer ameaça imediata ao nosso planeta, mas por passar perto da Terra foi escolhido como alvo para testar técnicas de impacto cinético e determinar se são um método eficaz para proteger o nosso planeta.

Não é uma boa ideia

A MIT Technology Review relatou as descobertas de um novo relatório que afirma que quando a NASA acertar a espaçonave DART no asteróide, ela causará “caos”. O novo relatório de pesquisadores da Universidade de Maryland sugere que a missão pode resultar em “órbitas caóticas, giro fora de controle e oscilação dramática do asteróide”, a 23.400 quilômetros por hora. A força de impacto da pequena espaçonave da NASA será igual a três toneladas de TNT explodindo, enviando milhares de pedaços de destroços para o espaço.

Esta é a melhor tecnologia para proteger nosso planeta?

“Estamos fazendo isso para ter a capacidade de prevenir um desastre natural verdadeiramente catastrófico”, disse Tom Statler, cientista do programa DART da NASA. No entanto, as técnicas de impacto cinético só funcionam quando os asteróides foram detectados com anos de antecedência. Bater uma espaçonave em um asteróide em curto prazo só pode mudar a trajetória de um asteróide em um grau muito pequeno.

Durante um longo período de tempo, geralmente anos, esse pequeno grau de mudança resulta em uma modificação maior da trajetória e da órbita do asteróide. A Agência Espacial Europeia, ESA, enviará a espaçonave HERA cinco anos após o DART para observar como o impacto afetou o asteróide.

Recentemente, em 9 de setembro, o asteroide 2021-RS2 errou a Terra por apenas 16 mil quilômetros, poucas horas depois de ser descoberto. A tendência não é nova, no ano passado bateu o recorde de descobertas de asteróides próximos à Terra, e neste ano as descobertas estão acompanhando o ritmo. A maioria dos asteróides recém-descobertos nos pegou de surpresa aparecendo do nada. Em 2020, pelo menos 107 asteróides passaram mais perto da Terra do que a nossa lua.

Colocar uma espaçonave em um asteróide pode ser uma boa solução para asteróides detectados com anos de antecedência, mas será completamente inútil no caso de um asteróide assassino aparecer do nada, deixando-nos com pouco tempo para agir. Poeira, meteoróides e até mesmo pequenos asteróides atingem a Terra o tempo todo, criando meteoros e bolas de fogo no céu à medida que se partem e às vezes explodem na atmosfera. Asteróides em nível de extinção já atingiram nosso planeta antes ao longo da história, a questão não é se, mas quando isso acontecerá novamente.

Esperamos que isso funcione, assim como no jogo Asteroids e não como Armagedom com Bruce Willis.

Via: Screen Rant/MIT Tech Review
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Produtos recomendados

HD EXTERNO

Comprar

CONTROLES

Comprar

CONSOLES

Comprar

ACESSÓRIOS

Comprar

CADEIRA GAMER

Comprar

HEADSET

Comprar