Publicidade
Tecnologia

O que é o novo sistema para computação quântica clássica acelerada da NVIDIA?

NVIDIA e Quantum Machines lançam DGX Quantum – primeiro sistema a reunir GPUs e computação quântica, além de usar plataforma de software CUDA Quantum de código recém-aberto
Gostou? Compartilhe!
NVIDIA
(Reprodução)
Publicidade

A NVIDIA acaba de anunciar um novo sistema desenvolvido com a Quantum Machines, que fornece uma nova arquitetura revolucionária para pesquisadores que trabalham em computação quântica clássica de alto desempenho e baixa latência.

O primeiro sistema de computação quântica acelerado por GPU do mundo, o NVIDIA DGX Quantum, reúne a plataforma de computação acelerada mais poderosa do mundo – habilitada pelo Superchip NVIDIA Grace Hopper e pelo modelo de programação de código aberto CUDA Quantum – com a plataforma de controle quântico mais avançada do mundo, OPX, da Quantum Machines.

A combinação permite que os pesquisadores criem aplicações extraordinariamente poderosas que combinam computação quântica com computação clássica de última geração, permitindo calibração, controle, correção de erros quânticos e algoritmos híbridos.

Continua depois da Publicidade

“A supercomputação com aceleração quântica tem o potencial de remodelar a ciência e a indústria com recursos que podem servir grandiosamente à humanidade”, afirma Tim Costa, diretor de HPC e tecnologia quântica da NVIDIA. “O NVIDIA DGX Quantum permitirá que os pesquisadores ultrapassem os limites da computação quântica clássica.”

Em sua essência, o DGX Quantum apresenta um sistema NVIDIA Grace Hopper conectado por PCIe a Quantum Machines OPX+, permitindo latência abaixo de microssegundos entre GPUs e unidades de processamento quântico (QPUs).

“Estamos caminhando para uma nova era de computação quântica que é mais acessível a mais pesquisadores do que nunca”, pontua Itamar Sivan, cofundador e CEO da Quantum Machines. “Nossa colaboração com a NVIDIA no sistema DGX Quantum permitirá que uma nova geração de inovadores resolva alguns dos maiores desafios do mundo.”

Grace Hopper – que integra a GPU de arquitetura NVIDIA Hopper de alto desempenho com a nova CPU Grace da empresa – é turbinado para aplicações de IA e HPC em escala gigante. Ele oferece desempenho até dez vezes maior para aplicações que executam terabytes de dados, dando aos pesquisadores quânticos clássicos capacidade sem precedentes para resolver os problemas mais complexos do mundo.

“Esse sistema colabora para que a indústria e a ciência tenham um desempenho melhor na resolução de problemas. A NVIDIA se orgulha em fornecer essas tecnologias que auxiliam no avanço de novas descobertas”, ressalta Marcio Aguiar, diretor da divisão Enterprise da NVIDIA para América Latina

O OPX+ é um sistema de controle quântico universal, que traz mecanismos de computação clássicos em tempo real para o núcleo da pilha de controle quântico para maximizar o desempenho de qualquer QPU e abrir novas possibilidades em algoritmos quânticos. Os sistemas Grace Hopper e OPX+ podem ser dimensionados para caber no tamanho do sistema, de uma QPU de poucos qubits a um supercomputador com aceleração quântica.

O DGX Quantum também equipa os desenvolvedores com NVIDIA CUDA Quantum, uma poderosa pilha de software unificada agora disponível em código aberto. CUDA Quantum é uma plataforma híbrida de computação quântica clássica que permite a integração e programação de QPUs, GPUs e CPUs em um sistema.

A NVIDIA anuncia um novo grupo de parceiros integrando CUDA Quantum em suas plataformas, incluindo as empresas de hardware quântico Anyon Systems, Atom Computing, IonQ, ORCA Computing, Oxford Quantum Circuits e QuEra; as empresas de software quântico Agnostiq e QMware; e os centros de supercomputação National Institute of Advanced Industrial Science and Technology, IT Center for Science (CSC) e National Center for Supercomputing Applications (NCSA).

Saiba mais sobre o NVIDIA DGX Quantum e o CUDA Quantum no GTC.

CONTEÚDO RELACIONADO