Rússia vs Ucrânia: Google remove tags no Google Maps para proteger população ucraniana

Contas em língua ucraniana alegaram que as tags visavam postos de gasolina, escolas e hospitais em cidades como Kiev.

Publicado em 02/03/2022 09:57
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Respondendo às alegações de que seus mapas estavam sendo usados ​​para coordenar a atividade militar russa na Ucrânia, o Google começou nesta terça-feira (1) a remover locais enviados por usuários dentro das fronteiras da Rússia, Ucrânia e Bielorrússia. A empresa está removendo novos conteúdos, como fotos e informações comerciais “com muita cautela”, disse um porta-voz do Google ao BuzzFeed News.

Em todas as plataformas de mídia social na terça-feira, as pessoas acusaram o Google Maps de hospedar conteúdo supostamente usado para atingir ataques aéreos em cidades como Kiev e Kharkiv. “As tags no Google Maps foram criadas em 28 de fevereiro, e as pessoas perceberam que elas correspondem aos lugares que o míssil atinge hoje”, disse, Oleksandr Balatskyi, ao BuzzFeed News em uma mensagem direta no Twitter.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

As pessoas alegaram que as tags, ou pins gerados pelo usuário, começaram a aparecer ontem com títulos como “ФЕРМЕРСЬКЕ ГОСПОДАРСТВО” (fazenda) e “СІЛЬСКЕ ГОСПОДАРСТВО” (agricultura). Além de remover as tags, o Google também desativou temporariamente os recursos de tráfego ao vivo oferecidos pelo Google Maps na Ucrânia para proteger a segurança dos usuários.

Os recursos usam dados de localização anônimos coletados de smartphones Android para mostrar onde há atrasos no trânsito nas estradas e quais empresas e lojas estão ocupadas. Especialistas dizem que esses dados podem oferecer informações sobre o progresso da invasão. Um especialista em inteligência de código aberto (OSINT) disse ter visto sinais da invasão russa no início da quinta-feira passada, depois de detectar “engarrafamentos” incomuns na fronteira ucraniana no Google Maps.

“Acho que fomos as primeiras pessoas a ver a invasão”, disse o especialista em OSINT, professor Jerry Lewis, do Middlebury Institute, ao Motherboard na semana passada. “E nós vimos isso em um aplicativo de trânsito.” O Google disse que a decisão de desativar esses recursos foi tomada para proteger a segurança dos usuários locais após consulta às autoridades ucranianas, conforme também relatado pela Reuters e Vice.

Os recursos foram desativados no acesso global, mas o Google disse que as informações de trânsito ao vivo ainda estarão disponíveis para os motoristas que usam recursos de navegação passo a passo na região. Não está claro se o Google já desativou esses recursos durante conflitos ou guerras anteriores.

Via: The Verge/Reuters/Vice/BuzzFeed News
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Produtos recomendados

HD EXTERNO

Comprar

CONTROLES

Comprar

CONSOLES

Comprar

ACESSÓRIOS

Comprar

CADEIRA GAMER

Comprar

HEADSET

Comprar