Publicidade
Entenda o acordo

UE aprova aquisição da Activision Blizzard pela Microsoft com uma pegadinha

Após meses de investigações, a União Europeia aprova a aquisição pendente de US$ 68,7 bilhões da Activision Blizzard pela Microsoft.
Gostou? Compartilhe!
Microsof Activision UE
(Imagem: Divulgação/Observatório de Games)
Publicidade

A Microsoft obteve aprovação da União Europeia (UE) sobre sua aquisição pendente da Activision Blizzard. O acordo de US$ 68,7 bilhões continuou sob os holofotes da indústria de jogos nos últimos meses, principalmente à medida que os reguladores levantam questões sobre as potenciais implicações da compra.

Após relatos de que a UE possivelmente aprovou a compra da Activision, a última decisão do regulador europeu sobre o assunto pode colocar as coisas a favor da Microsoft. A fabricante do Xbox tem pressionado agressivamente por aprovação regulatória sobre sua compra da Activision, com a empresa assinando acordos exclusivos com empresas como Nvidia, Ubitus, Nintendo, Boosteroid e o serviço europeu de jogos em nuvem Nware.

A Microsoft chegou a veicular anúncios de jornal de página inteira sobre a aquisição da Activision. Embora a empresa tenha recebido luz verde de vários países ao redor do mundo, enfrentou notável oposição dos principais reguladores de mercado, como os EUA e a Europa. Felizmente para a Microsoft, o último veredicto da UE sobre a aquisição pode pintar um quadro otimista para a gigante da tecnologia.

Continua depois da Publicidade

UE aprova aquisição da Activision Blizzard

Em um comunicado à imprensa, a UE anunciou que a aquisição pendente da Activision Blizzard pela Microsoft foi aprovada após uma investigação aprofundada. De acordo com a UE, a aprovação foi concedida após um compromisso assumido pela Microsoft com as preocupações do regulador. O regulador determinou que, se o acordo for aprovado, a Microsoft não poderá prejudicar consoles rivais ou serviços multijogos rivais.

No entanto, a UE reconheceu que a Microsoft poderia prejudicar a concorrência quando se trata de distribuição por meio de serviços de streaming de jogos em nuvem e que “sua posição no mercado de sistemas operacionais de PC seria fortalecida”.

Acordo com pegadinha

De acordo com os compromissos assumidos com a UE, a Microsoft seria obrigada a oferecer uma licença gratuita aos consumidores no Espaço Econômico Europeu (EEE), o que permitiria aos jogadores transmitir qualquer título da Activision Blizzard por meio de qualquer serviço de streaming de jogos em nuvem.

Isso se estende aos próprios provedores de serviços de streaming de jogos em nuvem, com as operadoras recebendo uma licença para permitir que os jogadores do EEE transmitam qualquer título da Activision Blizzard para PC e console.

O que a Microsoft respondeu

O presidente da Microsoft, Brad Smith, confirmou que a empresa implementará isso globalmente, o que significaria que qualquer jogador seria potencialmente capaz de transmitir títulos da Activision por meio de qualquer serviço de streaming de jogos. Os compromissos serão aplicáveis por um período de 10 anos, semelhante aos outros acordos recentes feitos pela Microsoft.

O que o acordo significa para o PlayStation

Curiosamente, a UE afirma que não acredita que a Microsoft teria qualquer incentivo para recusar à Sony o acesso a qualquer um dos títulos da Activision, ecoando sentimentos semelhantes das conclusões provisórias da CMA sobre o acordo com a Activision.

Ele menciona que, mesmo que a Microsoft remova os jogos da Activision do PlayStation, isso não prejudicaria significativamente a concorrência no mercado de consoles. Além disso, a UE aponta que a Activision provavelmente não teria expandido seus títulos em serviços de assinatura de vários jogos sem que o acordo fosse concluído, pois teria canibalizado as vendas individuais.

UE aprovou, mas o Reino Unido e EUA ainda não

Vale notar que a decisão da UE vem menos de um mês depois que a CMA bloqueou a aquisição da Activision Blizzard. A CMA seguiu afirmando que a Activision Blizzard será impedida de adquirir qualquer tipo de participação na Microsoft sem a aprovação do regulador.

Embora a Microsoft já esteja procurando apelar da decisão do regulador do Reino Unido, o processo provavelmente levará meses e a decisão mais recente da UE pode agora ajudar a gigante da tecnologia a construir um caso mais forte. Além disso, será interessante ver como tudo isso se desenrola nos EUA, com a FTC procurando recuar no acordo também.

Via: Game Rant/Twitter/Comissão Europeia

CONTEÚDO RELACIONADO